♫AMIGOS DO AFRO CORPOREIDADE♫

sexta-feira, 30 de julho de 2010

*Imperdível! Sessão BRASCUBA do Cine Clube Atlântico Negro!*


*O Cine Clube Atlântico Negro convida para assistir a um documentário fundamental para entendermos a latinidade do Brasil, e o quanto temos em comum com Cuba, principalmente na questão da diáspora africana nas américas. Entrada franca e bate-papo após a sessão.
*DIA: 06/08/2010 - HORAS: 19:00
*LOCAL: TEMPLO GLAUBER
*RUA SOROCABA, 190 - BOTAFOGO - RIO DE JANEIRO
*Fonte:
*Enviado por email do amigo Clementino Jr. do blog:
*

quinta-feira, 29 de julho de 2010

♫Tá Chegando a Hora... o IV COPENE está terminando♫

*Aqui estamos nós nos despedindo do VI COPENE e de todos os encontros que este congresso nos proporcionou. Chegamos ávidos pelo saber e estamos saindo ainda mais ávidos para buscar mais saberes nos livros, práticas e presenças que conhecemos neste evento. Na foto da esquerda para a direita as amigas Chris Abreu, Sônia Rosa (escritora) e eu.
*As 5 crias do curso África-Brasil Letras e Laços da Atlântica Educacional, a cultura africana está em no nosso pertencimento. Da esquerda para a direita Chris Abreu, Silvia (agora escritora), Sônia Rosa, Eu e Ricardo Riso.

*Nesta agora tietando nossa mestra Drª Conceição Evaristo. Sônia Rosa não estava nesta foto porque o calor dos autógrafos para o seu novo livro LINDARA não permitiu. Ei-la no labor autográfico! Tão linda quanto a Lindara, ela estava usando um sapatinho amarelo igual a personagem do seu livro.
Esta é a mais nova leitora da Sonia Rosa, a Nina, que ao conhecer o livro da Lindara disse que se parece com a personagem pois, é tão falante quanto esta.
*O Stand da Editora Nandyala nos acolheu com docinhos afro-brasileiros como uma cocadinha especial que serviram, hummm!!!
*E a Nina não queria parar sua leitura por nada...
*Eu também fui dar um abraço especial na minha amiga escritora...
*E como a fartura na feira de livros foi grande eu resolvi abraçar estas duas moças autografadoras das letras ESES Sílvia e Sônia...
*Continuamos no plural: Escritoras, Amigas, sorridentes, com iniciais na letra ESE, que estiveram na feira cultural do VI COPENE autografando seus novos livros. Valem os escritos!
*O que não faltou no VIº COPENE foi personalidades. Aproveitei pra tirar uma foto com a escritora Cidinha da Silva a qual estava lançando o livro "Os Nove Pentes D'África" e assina o Blog da Cidinha que é maravilhoso, acessem!
*Este é o meu amigo Sérgio G. Lima, que cursou Educação Física comigo e agora faz mestrado em políticas públicas pesquisando possíveis soluções para os impasses nas questões raciais.
*Fim de Festa com o Jongo Contemporâneo
da Banda Caixa Preta...
*O cantor Augusto Bapt, que conheço de outros carnavais, encabeça a banda com todas as síncopes necessárias ao jongo...

*Como conhecidência pouca é besteira, a banda ainda traz a trombonista Cátia Preta que também conheço de outros carnavais... Axé Jongueiros!

*Então "guardemos a nossa história e não vamos esquecer". Outros virão. Warethwa!
*

quarta-feira, 28 de julho de 2010

*Alguns Flashes no 2º Dia do COPENE*

*No segundo dia do COPENE, rolou muita coisa boa! Comunicações de trabalhos, Posters, e Sessões Especiais como esta que participei sobre MÍDIA E RACISMO* A mesa foi composta pelo ator e diretor Danny Glover (EUA) no centro desta foto, tendo a esquerda Sandra Almada (SEPPIR), a direita Nelson Inocêncio (UNB) e Lilian Solá Santiago (Cineasta brasileira que infelizmente não peguei nesta foto e a qual discursou brilhantemente sobre a questão), para os que não sabem Lillian fez o filme Família Alcântara e o Balé de Pé no Chão sobre a grande mestra da dança afro Mercedes Batista.*
*Aqui estamos na feira de livros onde aconteceu entre vários encontros a performance da Junia Bertolino (Cia. Baobá - Corporeidades Negras - MG), ela nos deu o prazer de vê-la encenar um texto sobre mulheres negras da Drª Conceição Evaristo, um lindo show e contou com a presença da nossa querida mestra que vcs vão ver aqui embaixo.*
*Aqui uma tiete de carteirinha com a mestra Drª Conceição Evaristo! Sou, mas, quem não é?!*
*Peço desculpas às autoridades presentes no lado direito desta foto que não sei os nomes, mas, sei que o COPENE está repleto deles por todos os lados. Bom, começando pela esquerda temos a diretora da editora Nandyala, eu ao lado da Drª Conceição Evaristo e do Ricardo Riso, e as autoridades que infelizmente não sei os nomes, mil desculpas!
Ah, esta é a Silvia que está aqui lançando o seu primeiro livro de poesia "Entre ruídos e silêncios" cuja capa coloquei abaixo, editora Lisboa Pfeil. Quem quiser adquirir um ainda dá tempo de passar na feirinha do COPENE porque hoje tem mais, ou nas boas livrarias.

*A criadora e sua cria! PARABÉNS Sílvia, AXÉ!*
*E pra não faltar uma das raízes principais do nosso país vamos ao Caldo de Samba!*
*Renatinho Partideiro (Cacique de Ramos), Andréa Café (De Nova Iguaçu, Uhu!), Buraco do Galo, Pedra do Sal...
*E pra fechar Dudu Nobre! O pessoal mandou ver nos tantans, pandeiros, tamborins, nas versadas dos partidos e agente só sambando e se acabando!
*HOJE TEM JONGO com o pessoal do CAIXA PRETA! ainda dá tempo, apareçam!





terça-feira, 27 de julho de 2010

*Notícias do COPENE - 2010*


*Começou ontem o IV COPENE (Congresso de Pensadores Negros) na UERJ e além de uma enriquecida e extensa programação, está sendo comemorado o 10º aniversário de criação da ABPN(Associação Brasileira de Pesquisadores Negros). Pesquisadores Ilustres compareceram e abrilhantaram o evento com suas histórias, vozes e letras.

Para esquentar os tamborins, ou melhor, os instrumentos de percussão de origem africana como DJAMBÊ, TAMBOR BATA, AFOXÉ etc, fui para o Mini-curso DANÇAS BRASILEIRAS DE MATRIZES AFRICANAS: A Experiência da dança na construção identitária de adolescentes e jovens, com o professor EVANDRO PASSOS (UNESP).

*Na foto estamos utilizando a fusão de ritmos que a África nos deu*
À minha direita o profª Evandro Passos, atrás as colegas Gaúchas.

*Aqui os intrumentos e percussionistas que acompanham o profº Evandro Passos, e por último com o afoxé, um colega capeirista mineiro que participou da dança conosco.

*Os ritmos africanos estão diretamente relacionados com a natureza, e os movimentos vindos das danças dos orixás são repletos de energia vital (AXÉ!)


*Aqui, depois de um curso energizante, todos com a certeza de ter somado um pouquinho mais nas trocas de experiência com o outro. como dizem os moçambicanos " Warethwa" (Em frente!).


*No final do dia, fomos para a abertura oficial do COPENE, e em primeira mão assistimos a encenação da leitura do livro de Cidinha da Silva Os Nove Pentes D'África com Iléa Ferraz e grande elenco, muita MAGIA nesta hora!

*Por fim, o tão esperado, aclamado, inflamado e iluminado discurso da Drª Conceição Evaristo, o qual falou da história, da resistência e da força do negro, sobre tudo no espaço acadêmico, mas, também em todos os espaços da sociedade. Seu discurso, como sempre, encantou os presentes que responderam com demorados aplausos. Meus Respeitos aos mais velhos, eles são a nossa bússola! Bravo Drª Conceição Evaristo! Axé!


*Minhas queridas Geny e Chris Abreu. A Sílvia que estava zanzando pra lá e pra cá não estava na hora da foto, e o nosso querido Ricardo Riso chegou depois da foto, então vale o registro das presenças de nós 5 mosqueteiros do curso Laços e Diferenças da Atlântica Educacional.


*
*Fonte: Fotos do meu arquivo pessoal. Denise Guerra.
*

domingo, 25 de julho de 2010

*IV Seminário Internacional "Fronteiras Étnico-culturais e Fronteiras da Exclusão"*



Estão Abertas as Inscriçoes para o
IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL: FRONTEIRAS ÉTNICO-CULTURAIS E FRONTEIRAS DA EXCLUSÃO 20 a 23 de setembro de 2010
Acesse:
*

*Conceição Evaristo na Solenidade de Abertura do VI Copene!*

*Dia 26 de julho Conceição Evaristo ministrará a palestra de solenidade de abertura do VI Copene, discursando sobre o tema principal do Congresso: “Afrodiasporas: saberes pós-coloniais, poderes e movimentos sociais”.

Doutoranda em Letras (Literatura Comparada) pela UFF- Universidade Federal Fluminense, com Mestrado em Letras pela PUC Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1996) e Graduação em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1990), Conceição Evaristo atua nas áreas de Letras e Educação, com ênfase em gênero e etnia.

Poetisa e romancista, cuja obra literária tem sido estudada por pesquisadores brasileiros e estrangeiros, tem parte da sua produção poética publicada em Cadernos Negros, editados pela Quilombhoje. Seus romances, Ponciá Vicêncio (1ª. Edição em 2003 e 2ª. Edição em 2005) e Becos da Memória (2006), foram editados pela Mazza Edições, tendo sido o primeiro selecionado para o Concurso de Vestibular 2008 para ingresso na UFMG, e traduzido para a língua inglesa, em edição da Host Publications, Inc., USA.

Atua também como assessora e presta consultoria em assuntos afro-brasileiros, literatura, educação, gênero e etnia a pesquisadores brasileiros e estrangeiros.
A autora é também conhecida mundialmente por suas estórias e reflexões sobre questões relacionadadas à tematica do universo feminino e da cultura afro.

Em entrevista concedida à Revista Raça Brasil, a Drª Conceição Evaristo critica os estereótipos artísticos que pairam sobre a mulher negra e defende a educação como a melhor ferramenta de acesso à igualdade.
Leia a seguir uma de suas poesias. Esta já é uma amostra da sensibilidade e importância de sua obra, além de um bom presságio do que presenciaremos no dia 26 de julho, na solenidade de abertura do VI COPENE!

Conceição Evaristo: “De mãe”

O cuidado de minha poesia
Aprendi foi de mãe
mulher de pôr reparo nas coisas
e de assuntar a vida.
A brandura de minha fala
na violência de meus ditos
ganhei de mãe
mulher prenhe de dizeres
fecundados na boca do mundo.
Foi de mãe todo o meu tesouro
veio dela todo o meu ganho
mulher sapiência, yabá*,
do fogo tirava água
do pranto criava consolo.
Foi de mãe esse meio riso
dado para esconder
alegria inteira
e essa fé desconfiada,
pois, quando se anda descalço
cada dedo olha a estrada.
Foi mãe que me descegou
para os cantos milagreiros da vida
apontando-me o fogo disfarçado
em cinzas e a agulha do
tempo movendo no palheiro.
Foi mãe que me fez sentir
as flores amassadas
debaixo das pedras
os corpos vazios
rente às calçadas
e me ensinou,
insisto, foi ela
a fazer da palavra
artifício
arte e ofício
do meu canto
de minha fala

*

(In Cadernos Negros – poemas – vol.25- 2002)

*Fonte:

*Enviado através de email pelo pessoal do DENEGRIR-UERJ.

*

quinta-feira, 22 de julho de 2010

*É SEMPRE BOM APRENDER COM A SABEDORIA DE NELSON MANDELA*


*
Ninguém nasce odiando outra pessoa

pela cor de sua pele ou por sua origem, ou sua religião.

Para odiar, as pessoas precisam aprender.

E se podem aprender a odiar,

podem ser ensinadas a amar,

pois o amor chega mais naturalmente ao coração humano

do que o seu oposto.

A bondade humana é uma chama

que pode ser oculta, jamais extinta.

(Nelson Mandela)
*
*

*Concurso Nacional de Pesquisa sobre Cultura Afro-Brasileira, Comunidades Tradicionais e Cultura Afro-Latina*


*Inscrições até 16 de agosto


*Constitui objeto do presente Concurso a premiação de monografias de conclusão de graduação e dissertações de mestrado que versem sobre Cultura Afro-Brasileira, Comunidades Tradicionais ou Cultura Afro-Latina.

*Confira o edital e os anexos:
Edital
Anexo I - Formulário de Inscrição
Anexo II - Termo de Licenciamento de Direitos Autorais



*As dúvidas referentes ao presente Concurso poderão ser esclarecidas através do endereço eletrônico premiopalmares2010@palmares.gov.br

*Publicado por Geisa - Observatório dos Editais

*Fonte:


*

terça-feira, 20 de julho de 2010

♫CANÇÃO AMIGA - Carlos Drumond de Andrade♫


Canção Amiga aos Amigos(as) do AfroCorporeidade

*
Eu preparo uma canção
em que minha mãe se reconheça
todas as mães se reconheçam,
e que fale como dois olhos.

Caminho por uma rua
Que passa por muitos países.
Se não me vêem, eu vejo
E saúdo velhos amigos.

Eu distribuo um segredo
Como quem ama ou sorri.
No jeito mais natural
Dois carinhos se procuram.

Minha vida, nossas vidas
formam um só diamante.
Aprendi novas palavras
E tornei outras mais belas.

Eu preparo uma canção
que faça acordar os homens
e adormecer as crianças
(por Carlos Drumond de Andrade)

*

segunda-feira, 19 de julho de 2010

*Presença latino-ameFricana – ArteReflexão*


*Edições Toró, Donde Miras e CDHEP (Centro de Direitos Humanos e Educação Popular) convidam para o curso: "Presença latino-ameFricana – ArteReflexão”*

CURSO GRATUITO para 35 participantes, com distribuição de apostilas e certificado ao final do curso.

Seis encontros aos sábados - de 31/07 a 04/09 - sempre das 14h às 18h
No CDHEP: Rua Dr. Luís da Fonseca Galvão, 180 (colado ao Metrô Capão Redondo) – 5511-5073 – São Paulo/SP

Pra ver e conferir as imagens, materiais e apostilas dos cursos passados é só chegar no sítio
www.edicoestoro.net . *Inscrições também no sítio da Toró ou na sede do CDHEP, até 23/07/2010.
*
---Programa do curso:
*
31/07 - “Literatura argentina frente às suas novas vozes", com Lucía Tennina (Professora de Literatura Brasileira e Portuguesa na Universidade de Buenos Aires. É pesquisadora visitante em Cultura Contemporânea, da Universidade Federal de Rio de Janeiro. Colabora em revistas acadêmicas e independentes, de Brasil e Argentina.) & "Cultura que brota da terra: povos indígenas no Brasil e suas lutas pelo território no século XXI", com Spensy Pimentel (Jornalista e antropólogo, hoje pesquisador na USP. Há 12 anos pesquisa os índios Guarani-Kaiowa, de Mato Grosso do Sul, estado onde nasceu).
*
07/08 - “Fotografia e 'o outro México rebelde': questões de olhar sobre novos movimentos sociais”, com Waldo Lao Fuentes Sánchez (Formado em Antropologia pela Escuela Nacional de Antropologia e Historia do México- ENAH, pós-graduando pelo PROLAM-USP. Atualmente é fotógrafo e colaborador de diversas meios independentes de comunicação) & "Salve, Hermanos!!! Hip Hop e(m) Cuba", com Mateus Subverso ( B. Boy e grafiteiro da Posse ‘Suatitude’ e integrante das Edições Toró. Também atua como designer gráfico e digital destes dois coletivos)
*
14/08 – “Cuba e Haiti: Atlântico Negro, culturas e interpretações”, com Amaílton Azevedo (Professor de História da África da PUC/SP) & “No chão da Martinica, a palavra de noite", com Luana Antunes Costa (Professora, pesquisadora em Literaturas Africanas e Afro-brasileira, escritora e tradutora. Doutoranda em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa, pela USP).
*
21/08 - “A mátria das cordilheiras, mar, pampa, sierra, selva e sertão: arte & re-existência”, com Marcos Ferreira Santos (Músico e Arte-educador. Professor da Faculdade de Educação da USP)28/08 - “Teatro, Negro, no Brasil: do TEN ao Bando Olodum", com Evani Tavares (Atriz, angoleira, doutora em Artes pela UNICAMP e autora do livro “Capoeira Angola como treinamento para o ator” & “Cinemas afro-sulamericanos”, com Lilian Solá Santiago (Cineasta, pesquisadora e curadora de mostras de cinema. Historiadora e professora de cinema)

04/09 – “Revolução? Movimento Zapatista e Literatura das Margens Mexicanas", com Alejandro Reyes (Mexicano de nascença, escritor, jornalista e tradutor. Coordena a coleção"Imarginália' da Editora Sur + , é integrante da rádio zapatista e pesquisador atuante em cultura e literatura latino-americana) & Avaliação Coletiva.

Articulação Pedagógica: Allan da RosaConcepção e Diagramação de Cartaz e Apostilas: Mateus SubversoRealização: Edições Toró, Donde Miras e CDHEPApoio: Nós por nósAgradecimentos: Aos educadores que vêm na graça e na luta. E à comunidade que chega ou oferece atenção-----
Para conferir a arte do cartaz e mais detalhes deste e dos outros cursos (fotos, recursos pedagógicos, apostilas) é só chegar nas varandas do sítio da Edições Toró:
www.edicoestoro.net
-------
"Presença latino-ameFricana - ArteReflexão"
Quarto curso organizado pela Edições Toró, agora pareada pela fortaleza do coletivo DondeMiras e pelo vigor e crença do CDHEP (Centro de Direitos Humanos e Educação Popular).A miragem é aprender sobre as graças, os traços e os revides fundamentados aplicados no racismo, na escravidão que é tanta e diferente a cada dia, na agulha que insistem em colocar nas nossas palmilhas.

Da borda de cá do Oceano Atlântico, maior cemitério e ponte da história humana, vamos re-existindo e comungando estudos e caminhos de roda. Com mais fundamento e menos marquetagem, menos holofote.

Da borda de cá da cidade que segrega, atola e pinga-repinga uma educação oficial merrequeira, tijolando muros no asfalto, na ladeira e no peito, barrando saberes e brinquedos que se expressam nas beiradas.
O curso traz artistas, professores e ativistas entranhados a cada dia na questão, pensando relações entre Africania e América Latina, seja onde o passo negro deixou e deixa mais caminhos, se entrançando com outros cantos, ou mesmo onde a força indígena mais vogou e voga. E onde os subúrbios e quebradas do hemisfério de cá oferecem expressões de sustança.Pra que a teoria não morra de anestesia. E a pedagogia não definhe sem poesia.

Edições Toró
Morro do Mineiro – Taboão da Serra/SP
www.edicoestoro.net

*Fonte:

*Enviado através de email pela doutoranda Luana Antunes Costa.

*

domingo, 18 de julho de 2010

Mini-Curso no VI COPENE (Congresso dos Pensadores Negros - UERJ - 26 a 29/07/2010)*

*Mini-Curso
Um Passeio Por Narrativas & Saberes de Mulheres Negras Norte-Americanas
Proponente: Profa. Dra.Katia Santos
Carga Horária: 6 horas [encontros em dois turnos, de 3 horas cada, no dia 26/7/2010]
Número de Participante: entre 10 e 15 participantes.
Equipamentos Necessários: Data Show/ Smart Classroom

*Ementa:

Mini-curso voltado para a produção escrita – ou para o exercício da Escrita Criativa – de mulheres negras estadunidenses com o propósito de promover um diálogo crítico entre escritoras e participantes no intuito de acessarmos identidades e experiências outras, no movimento da Diáspora Negra. Embora a escrita não seja a única forma de expressão a ser visitada nos dois encontros, como exemplo de narrativa, a escrita será, sim, a forma privilegiada. E a escrita e/ou narrativa será também a forma de interação final dos participantes neste “passeio” por terras estrangeiras das palavras negras. Nossas convidadas especiais para este encontro serão Alice Walker, bell hooks, Edwidge Danticat, e cada uma de nós, mulheres e homens, inseridas que estamos nos contextos Brasil-Estados Unidos. Enfim, este curso é um convite a todos que queiram acompanhar este tourpor subjetividades estrangeiras-familiares.

*Justificativa/Objetivo:

Este mini-curso se pretende uma extensão das minhas atividades acadêmicas no programa de pós-doutorado em Estudos Culturais do Programa Avançado de Cultura Contemporânea da UFRJ, onde desenvolvo a pesquisa intitulada Novas Escritas em Antigas Urbes: Escrita Criativa, Mulheres Negras & Estudos Culturais, aliadas à minha experiência como instrutora de cursos universitários sobre “narrativas de mulheres de cor das Américas” em universidades dos EUA nos meus quatro últimos anos de moradia neste país. Embora no projeto de pós-doceu trabalhe com escritoras negras brasileiras e norte-americanas, no mini-curso trabalharei apenas com autoras afro-americanas/norte-americanas sem que deixemos o Brasil de lado um só instante. A intenção é que pensemos as produções de narrativas na Diáspora Negra tendo como foco a escrita criativa de mulheres negras, e o que estas nos apresentam como “álbum textual” – palavras/memórias substituindo as fotos que não nos foi permitido ter –, na expressão de bell hooks, ou mesmo como notícias da vida privada dos negros norte-americanos. Evidentemente, estaremos também discutindo o impacto e importância da produção intelectual na Diáspora Negra, suas instâncias e recortes.

*Metodologia:

A literatura negra norte-americana traduzida para o português – muitas das quais serão usadas no curso – ainda não é representativa, em termos numéricos, da tradição literária afro-americana, o que nos obrigará a providenciar algumas traduções de fragmentos de textos de autoras e/ou assuntos importantes para a nossa discussão. Por isso também nos valeremos ainda de muitos outros materiais/recursos pedagógicos na construção dessa temática, o que tornará nossos encontros ainda mais dinâmicos e abrangentes. As discussões e interações serão constantes e necessárias, como o é qualquer construção de saber. No segundo e último dia de nosso encontro, tod@s @s participantes serão convidad@s a apresentar suas próprias [breves] narrativas, de qualquer natureza, sobre tudo o que tivermos discutido nos dois encontros, como uma forma de, efetivamente, promovermos a produção da escrita criativa, do “álbum textual”, que dê conta de nossas subjetividades e saberes.

*Temas a serem privilegiados:

* Educação
* Feminismo Negro/ Womanism
* Família
* Memórias
* Espiritualidade
* Intimidade/ Intimacy
* Literatura/ Fazer Literário/ Escrita Criativa
* Cultura Popular e Negritude
* O sujeito Negro e a Academia
* Sexualidade/ Gênero
* Tradição/ Modernidade
* Ativismos

*Sobre Katia Santos:
doutorou-se em Cultura e Literatura Brasileiras no departamento de Línguas Românicas da University of Georgia em 2005, instituição onde obteve também o certificado em Estudos Feministas tendo como foco as questões concernentes às mulheres negras norte-americanas, além ter optado pelos Studies of African-American Culture and Literature como minor[sub-área]. Atualmente é pós-doutoranda em Estudos Culturais no PACC/UFRJ e faz MBA em Cinema-Documentário na FGV-RJ.
*
*Fonte:
Enviado através de email para publicação a pedido da Drª Kátia Santos.
*

quarta-feira, 14 de julho de 2010

*FESTLIP - Festival de Teatro da língua Portuguesa 2010 * 14 a 25/07*


Festival de Teatro da Língua Portuguesa dos seguintes países:
Angola
Brasil
Cabo Verde
Guiné Bissau
Moçambique
Portugal
São Tomé e Príncipe
Timor Leste
*
*
*
*

terça-feira, 13 de julho de 2010

♫Querido Mestre PAULO MOURA: Obrigada por existir na nossa música brasileira!!!

♫PAULO MOURA - MÚSICO, COMPOSITOR, MAESTRO, ARRANJADOR - 1932 + 2010♫
♫Fecharam-se as cortinas, mas, o show de Paulo Moura continua em nossos corações e ouvidos e lá no céu veremos as estrelas mais reluzentes por que o seu som agora voará na velocidade das luzes mais brilhantes do planeta!!! Bravíssimo, PAULO MOURA!!!!♫ Denise Guerra.


Lindo depoimento de André Vallias sobre nosso querido músico Paulo Moura:
*
"Uma forte rajada sobre a cidade do Rio de Janeiro anunciava à noite o desfecho de uma lenta agonia... No sábado, dia 10 de julho, Paulo Moura ainda conseguiu reunir forças para tocar uma última música – "Doce de Côco", de Jacob do Bandolim e Hermínio Bello de Carvalho – com seu parceiro de longa data Wagner Tiso, ao lado de sua mulher Halina, o filho Domingos, o sobrinho Gabriel, amigos e admiradores, e alguns pacientes da Clínica São Vicente, maravilhados com aquela inusitada e comovente celebração musical, organizada pelos músicos Cliff Korman e Humberto Araújo.Uma réstia de sol fazia da exuberante folhagem de jaqueiras um cintilante cenário para a varanda do hospital.
O maestro, sereno e sorridente, vestia uma camisa azul e cobria as pernas inchadas e inertes com um manto púpura. Lembrei-me da última estrofe de um poema que lhe dediquei alguns anos atrás, homenagem diminuta e insuficiente frente à imensa alegria que sua música me proporcionara e ao doce convívio que tive o privilégio de gozar:


mistura e manda
o maestro
pra lá
das bandas
do rio preto:
aéreo conduz
e sopra
por onde zoar
o pássaro azul
púrpura
Ele se foi na calada da noite, sua memória, no entanto, não há de se calar jamais em nossos corações e ouvidos. Paulo Moura não passou, não passará: virou pássaro alvissareiro... para todos e para sempre."
André Vallias - Rio De Janeiro, 13/07/2010.

*O corpo do maestro e clarinetista Paulo Moura será velado no Salão Nobre do Teatro Carlos Gomes, dia 14 de julho, quarta-feira, das 11h às 16h.*
*
*Fonte:
*

domingo, 11 de julho de 2010

Fim da Copa da África do Sul - Gana é a sétima melhor equipe do Mundial 2010 e aqui na nossa enquete Gana foi a primeira com 45% dos votos!*


Salve Mãe África, Salve a Seleção de Gana por sua brava campanha nesta copa da África do Sul 2010! Por incrível que pareça os ganeses ficaram ao lado do Brasil(penta campeão) que amargou uma 6ª colocação entre os eleitos da FIFA! No entanto, aqui no AfroCorporeidade Gana liderou a enquete que fizemos perguntando: qual país africano faria a melhor campanha nesta copa de 2010? Obrigada a todos que participaram! Vejam a seguir o ranking da FIFA para esta copa de 2010.

A classificação final da competição foi publicada pela FIFA (Federação Internacional de Futebol) antes do jogo de terceiro lugar de sábado e da grande final de domingo. O Ghana é a sétima melhor equipe do Mundial 2010 que termina, neste domingo (11), na África do Sul.

Os Estrelas Negras (equipa nacional de futebol do Gana), a única equipa africana a ter disputado os quartos-de-final em que foram vencidos pelo Uruguai, estão à frente da Itália (campeã em título), e são igualmente a única equipa africana a figurar no Topo 10. A classificação final da competição foi publicada pela FIFA (Federação Internacional de Futebol) antes do jogo de terceiro lugar de sábado e da grande final de domingo.A classificação para os primeiros quatro lugares dependerá do resultados dos jogos deste fim-de-semana entre a Alemanha e o Uruguai para o terceiro lugar, por um lado, e, por outro, a Espanha e os Países Baixos, para o título.

A tabela da FIFA considera a prestação das equipas respectivas, nomeadamente os pontos obtidos após cada jogo, os golos inscritos, os golos sofridos e o comportamento geral da equipa, entre outros aspetos.

O Ghana era classificado 13º no Mundial de 2006, na Alemanha, onde era também a única equipa africana a qualificar-se após as fases de grupo.Cinco vezez campeão do mundo, o Brasil e a sua rival, a Argentina, foram respectivamente classificados quinto e sexto.

Quatro vezes campeão de África, os Camarões, que perderam os seus três jogos, estão no 31º lugar, justamente antes da República Democrática Popular da Coreia, a lanterna vermelha.

A Côte d'Ivoire ocupa o 17º lugar, a África do Sul, o país anfitrião está no 20º lugar, ao passo que a Nigéria e a Argélia se encontram no 27º e 28º lugares respectivamente.


Eis a classificação do 5º a 32º lugar :5. Argentina 6. Brasil 7. Gana 8. Paraguai 9. Japão 10. Chile 11. Portugal 12. Estados Unidos 13. Inglaterra 14. México 15. Coreia do Sul 16. Eslováquia 17. Côte d'Ivoire 18. Eslovénia 19. Suiça 20. África do Sul 21. Austrália 22. Nova-Zelândia 23. Sérbia 24. Dinamarca 25. Grécia 26. Itália 27. Nigéria 28. Argélia 29. França 30. Honduras 31. Camarões 32. Coreia do Norte

*Fonte:


*

terça-feira, 6 de julho de 2010

*MOSTRA OLONADÉ CELEBRA A CENA NEGRA BRASILEIRA*


OLONADÉ reunirá no período de 08 a 26 de julho atrações entre 12 espetáculos, 12 oficinas, 4 palestras e 6 filmes, todas com entrada franca.



A partir de 08 de julho, o bairro de Santa Teresa será palco da segunda edição do OLONADÉ - A cena negra brasileira - um evento pioneiro no estado do Rio de Janeiro que reunirá Companhias de Teatro, Dança e produções independentes vindas de diferentes regiões do Brasil e que tenham em comum o desenvolvimento de trabalhos voltados para a valorização da arte e da cultura negras.



Idealizado pela Cia dos Comuns (grupo teatral carioca dirigido pelo ator Hilton Cobra, responsável pela encenação dos espetáculos Candaces - a reconstrução do fogo; Bakulo - os bem lembrados; A Roda do mundo; e Silêncio), OLONADÉ reunirá no período de 08 a 26 de julho atrações entre 12 espetáculos, 12 oficinas, 4 palestras e 6 filmes, todas com entrada franca.



As oficinas possibilitarão que atores e bailarinos troquem experiências com renomados nomes das artes cênicas e da dança. O evento abre este espaço para que talentos sejam descobertos e aperfeiçoados com os artistas de longa estrada.



ESPETÁCULOS



O público poderá conferir espetáculos teatrais como: Besouro Cordão de Ouro/RJ, dir. João das Neves; Negro de estimação/PE, dir. Kleber Lourenço; Casa de ferro/BA, dir. Mauricio Assunção; O subterrâneo jogo do espírito/RJ, dir. Rodrigo dos Santos; O cheiro da feijoada/RJ, dir. Iléa Ferraz; OriRe - Saga de um herói que confrontou a morte/RJ, dir. Gustavo Mello; e Sete ventos/RJ, dir. Débora Almeida, e espetáculos de dança com as companhias Cia Rubens Barbot Teatro de Dança/RJ e Cia Étnica de Dança e Teatro/RJ, e os espetáculos Chão/RS, dir. Jessé Oliveira, e Terra sonâmbula/MG, dir. Rui Moreira.

OFICINAS

As oficinas serão conduzidas pelos profissionais Amir Haddad/RJ e Luiz Marfuz/BA (direção teatral); Zebrinha/BA e Rubens Barbot/RJ (dança); Jarbas Bittencourt/BA (música de cena); Puan Viana/RJ (percussão); João Lopes/RJ (dicção); Pedro Lima/RJ (canto); Fernanda Julia/BA (interpretação); Mestre Marrom/RJ (capoeira); Felipe Koury/RJ (Ai Kido); e Marcelinton PJ/RJ (técnicas circenses).

PALESTRAS

As palestras ocorrerão no dia 08, no Auditório da Biblioteca Nacional, e abordarão os temas: Herança africana, com a profª doutora Mônica Lima/RJ; Religiões de matriz africana, com o Pai Adailton/RJ; Em torno das saliências estéticas do nosso Teatro Negro, com a doutora Evany Tavares/SP; e Dança, com a profª doutora Renata Lima/GO.

CINEMA

Já o cinema, que terá sede no Afro Carioca de Cinema, estará representado pelos filmes: Eu não ganhei esse edital, dir. Julio Pecly; Santas ervas, dir. Lincoln Santos e Alexandre Nascimento; Se todos fossem iguais, dir. Fernando Barcellos e Joyce Santos; XIII Marcha Noturna, dir. Viviane Ferreira; Estação Realengo, dir. Carlos Maia; e O maestro das ruas, um mergulho na alma brasileira, dir. Dudu Fagundes.

Hilton Cobra, coordenador do projeto, justifica a realização de OLONADÉ: "É paradoxal que no país que abriga a segunda maior população negra do mundo, e que evoca como símbolos de sua cultura a música, a dança e a culinária negras, o teatro e a dança profissionais ainda expressem de forma tão tímida a influência da gente negra na sociedade brasileira. É fundamental criarmos meios para que as artes cênicas brasileiras sejam capazes de dar conta de uma realidade mais total: mostrar o negro - e a sociedade, em consequência - discutindo, avaliando, ocupando lugar de dono de seu próprio destino. Portanto, realizamos o OLONADÉ com o intuito de criar meios que possam incentivar a criação e o desenvolvimento de trabalhos que abarquem uma cosmovisão artisticamente negra no âmbito das artes cênicas. Sem dúvida um grande desafio, mas sobretudo uma necessidade histórica e cultural", argumenta Cobra.

Esta versão do OLONADÉ é realizada graças aos Prêmios Myriam Muniz/FUNARTE e Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afro-brasileiras/PALMARES; ao patrocínio da Petrobras e aos apoios culturais de Oi Futuro, Firjan, Cadon e Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro.
*
*Informações:
*CIA DOS COMUNS - Tel (21) 2242. 0606
*Recebido através de Email
*

♫ESCOLA DE MÚSICA PENTAGRAMA♫ Direção Mapinha * Músico-Professor♫

♫ESCOLA DE MÚSICA PENTAGRAMA♫ Direção Mapinha * Músico-Professor♫
♫VIOLÃO * CAVAQUINHO * GUITARRA * BAIXO * FLAUTA * SAXOFONE * TROMPETE * TROMBONE * CLARINETE * GAITA * PIANO * TECLADO * CANTO * BATERIA * PERCUSSÃO GERAL♫ RUA IGARATÁ, Nº566 - MARECHAL HERMES - Rio de Janeiro* TEL(S):3456-1510/8133-3559* www.empentagrama.kit.net

*Registrado no Creative Commons*

Licença Creative Commons
Afro-Corporeidade e Africanidades de Denise Guerra dos Santos é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.
Based on a work at afrocorporeidade.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://afrocorporeidade.blogspot.com.

*FRUTOS DA DIÁSPORA AFRICANA*

*ACESSE http://www.africaeafricanidades.com.br*

*ACESSE  http://www.africaeafricanidades.com.br*

*"Capoeira é de Todos e de Deus. Mundo e gentes têm mandinga, Corpo tem Poesia, Capoeira tem Axé"*

*"Capoeira é de Todos e de Deus. Mundo e gentes têm mandinga, Corpo tem Poesia, Capoeira tem Axé"*
*Frase do Livro "Feijoada no Paraíso" Besouro*
Related Posts with Thumbnails

♫SUGESTÕES BIBLIOGRÁFICAS♫

  • *CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do Folclore Brasileiro. 6ª edição. Belo Horizonte: Itatiaia, 1988.
  • *COSTA, Clarice Moura. O Despertar para o outro: Musicoterapia. São Paulo: Summus Editorial, 1989.
  • * FREGTMAN, Carlos Daniel. Corpo, Música e Terapia. São Paulo: Editora Cultrix Ltda,1989.
  • *EVARISTO, Conceição. Ponciá Vicêncio. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2003.
  • * FREYRE, Gilberto. Casa grande e Senzala. 50ª edição. São Paulo: Global Editora, 2005.
  • *HOBSBAWN, Eric J. História Social do Jazz. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.
  • *LOPES, Nei. Bantos, Malês e Identidade Negra. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.
  • *_________. Dicionário Escolar Afro-Brasileiro. São Paulo: Selo Negro, 2006.
  • *_________. Enciclopédia Brasileira da Diáspora Africana. São Paulo: Selo Negro, 2004.
  • *_________. O Negro no Rio de Janeiro e sua Tradição Musical: Partido Alto, Calango, Chula e outras Cantorias. Rio de Janeiro: Pallas, 1992.
  • PEREIRA, José Maria Nunes. África um Novo Olhar. Rio de Janeiro: CEAP, 2006.
  • *RAMOS, Arthur. O Folclore Negro do Brasil. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
  • *ROCHA, Rosa M. de Carvalho. Almanaque Pedagógico Afro-Brasileiro: Uma proposta de intervenção pedagógica na superação do racismo no cotidiano escolar. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2006.
  • *___________. Educação das Relações Étnico-Raciais: Pensando referenciais para a organização da prática pedagógica. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2007.
  • *ROSA, Sônia. CAPOEIRA(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *__________. JONGO(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *___________. MARACATU(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *SANTOS, Inaicyra Falcão. Corpo e Ancestralidade: Uma proposta pluricultural de dança-arte-educação. São Paulo: Terceira Margem, 2006.
  • *SODRÉ, Muniz. Samba o Dono do Corpo. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.
  • TINHORÃO, José Ramos. Música Popular Brasileira de Índios, Negros e Mestiços.RJ: Vozes, 1975.
  • _________ Os sons dos negros no Brasil. São Paulo: Art Editora, 1988.