♫AMIGOS DO AFRO CORPOREIDADE♫

terça-feira, 24 de maio de 2011

*Morre Abdias do Nascimento, o Grande Líder Negro*

Hoje é um dia de tristeza para quem acredita na igualdade humana e nunca aceitou o racismo. Morreu Abdias do Nascimento, um homem que foi tantas coisas que é difícil enumerar e, em todas elas, foi um só: um brasileiro negro, que amou a arte, o conhecimento e as pessoas.
Abdias, nasceu em 1914, viveu intensamente seus 97 anos de lutas. Lutou como soldado, nas revoluções de 30 e no levante paulista de 32, lutou para se formar economista, em 38. A luta contra o Estado Novo e contra o racismo o levam, em 1941, à Penitenciária do Carandiru, onde cria o Teatro do Sentenciado, organizando um grupo de presos que escrevem, dirigem e interpretam.
E não pára nisso. Cria o TEN - Teatro Experimental do Negro, interpretou no teatro e no cinema – Orfeu da Conceição, que virou Orfeu do Carnaval  foi um de  seus trabalhos mais conhecidos.
Obrigado a deixar o país pela ditadura, tornou-se  Conferencista Visitante da Universidade de  Yale University,em 69. Um ano depois fundou a cadeira de Culturas Africanas no Novo Mundo, na Universidade do Estado de Nova York.
No fim dos anos 70 ajudou a fundar o PDT e, nele, o Movimento Negro. No primeiro Governo Brizola, foi deputado federal. No segundo, foi secretário de Estado  de Defesa e Promoção das Populações Afro-Brasileiras e, com a morte de Darcy Ribeiro, assumiu uma cadeira de Senador.
Nos últimos anos, com problemas de saúde não podia mover-se muito, mas, sua luta jamais parou! 
Ficam aqui muitas Saudades deste Grande Guerreiro Negro pelos legados deixados a este Brasil de todas as cores. Nosso povo te abraça como ilustre filho gentil que és para nós! Descanse em paz, que Deus o Ilumine!
Fonte:

quinta-feira, 19 de maio de 2011

terça-feira, 10 de maio de 2011

*MOÇAMBIQUE em foco nesta Sexta-Feira 13 de Maio de 2011 no Cine Clube Atlântico Negro*

*O Cine Clube Atlântico Negro Convida para esta sessão especial dos curtas-metragens produzidos em Maputo capital de Moçambique, a partir de uma oficina de documentários da produtora portuguesa Terra Treme.
*Cine Clube Atlântico Negro - Tempo Glauber
Rua Sorocaba, nº 190 - Botafogo - Rio de Janeiro
19:30h
*Enviado pelo amigo Cineasta Clementino Junior a quem agradecemos!*

sábado, 7 de maio de 2011

*13 de Maio de 2011 - Caminhada planta Memorial da Diáspora Africana, no Porto Maravilha - Zona Portuária do Rio de Janeiro*


2011, Ano Internacional do Afrodescendente 
13 de maio de 2011
ZONA PORTUÁRIA - RJ
Caminhada planta Memorial da Diáspora Africana, no Porto Maravilha
 (Mauro Viana* – 8648-4736 e 7474-2116)

No dia 13 maio, representantes de várias Ong’s, sindicatos, CUT, Movimento Negro e de órgãos públicos promovem uma caminhada seguida de feijoada, na Zona Portuária, a fim de convocar a população para o debate, em torno do Memorial da Diáspora Africana, na região. A concentração está marcada para ás 17 horas, na Praça Jornal do Commercio, na rua Barão de Tefé, próximo ao Hospital dos Servidores. Na Ala de Frente virá o Afoxé Filhos de Gandhi.
A caminhada sairá 18 horas da Rua Barão de Tefé em direção à Rua Pedro Ernesto.  Instituto Pretos Novos e Centro Cultural Jose Bonifácio estão no  roteiro por abrigarem patrimônio imaterial afro-brasileiro.
A Fundação Cultural Palmares (órgão do Ministério da Cultura) através de sua representação, no Rio de Janeiro se uniu aos movimentos sociais cariocas, para garantir construção do Memorial, em meio às obras do projeto Porto Maravilha.
A recente descoberta do sítio arqueológico do Cais do Valongo injetou ânimo aos militantes, que constituíram uma comissão, exclusivamente para dialogar com as autoridades sobre o Memorial. “O Sítio Arqueológico do Valongo da é mais uma prova da Zona Portuária como porto de entrada da maioria dos africanos, nas Américas”, defende Benedito Sérgio, Representante Regional da Fundação Cultural Palmares, no Rio de Janeiro e Espírito Santo.
Há 10 anos, o historiador Carlos Eugênio Líbano  pesquisa a chamada Pequena África. O resultado destas pesquisas levou o Museu Nacional e Universidade Federal do Rio de Janeiro estruturar uma equipe de arqueólogos para levantar os indícios científicos. Coordenada pela Professora Tânia Andrade Lima, as buscas arqueológicas resultaram na descoberta das peças africanas do século XIX. Os arqueólogos encontram búzios, cachimbos africanos, pedrarias, material de artesanato e confecção.
No dia 21 de março de 2011 houve o lançamento da Pedra Fundamental do Memorial da Diáspora Africana.  A data marca O Dia Internacional pela Eliminação do Racismo. Na ocasião, representantes de dezenas de organizações governamentais e não governamentais promoveram um ato simbólico no Sítio Arqueológico do Cais do Valongo. O movimento em favor do Memorial da Diáspora Africana lança a Carta do Valongo, no dia 17 de março.
Os trabalhos prosseguem em sucessivas reuniões em abril dias 11, 18, 24 e 27) e 3 de maio.

Anote as entidades participantes:
Cedine (Conselho Estadual do Direito do Negro),
Ceppir (Coordenadoria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Prefeitura do Rio de Janeiro), Fundação Palmares do Ministério da Cultura, Instituto Pretos Novos, Projeto Comunicar, Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Comdedine
 ( Conselho Municipal do Direito do Negro da Prefeitura do Rio de Janeiro), IPCN (Instituto de Pesquisa de Cultura Negra), Assores ( Associação Cultural República do Samba), Estimativa, Ceap (Centro de Articulação de Populações Marginalizadas), Centro Sócio-Cultural Zé Ketty, Centro de Produção Fotográfica Quilombo 32, CUT  (Central Única dos Trabalhadores), Incubadora Afro-brasileira, IPDH (Instituto de Palmares de Direitos Humanos), Afro-Brasil Turismo, Gabinete do Deputado Gilberto Palmares, ArquiPedra (Associação do Quilombo Pedra do Sal), Unegro, 100% África , Centro Afro-Carioca  de Cinema, Suppir (Superintendência de Promoção da Igualdade - Secretaria de Direitos Humanos).
 
*Enviado pelo jornalista Mauro Viana a quem agradecemos as informações compartilhadas!*    



♫ESCOLA DE MÚSICA PENTAGRAMA♫ Direção Mapinha * Músico-Professor♫

♫ESCOLA DE MÚSICA PENTAGRAMA♫ Direção Mapinha * Músico-Professor♫
♫VIOLÃO * CAVAQUINHO * GUITARRA * BAIXO * FLAUTA * SAXOFONE * TROMPETE * TROMBONE * CLARINETE * GAITA * PIANO * TECLADO * CANTO * BATERIA * PERCUSSÃO GERAL♫ RUA IGARATÁ, Nº566 - MARECHAL HERMES - Rio de Janeiro* TEL(S):3456-1510/8133-3559* www.empentagrama.kit.net

*Registrado no Creative Commons*

Licença Creative Commons
Afro-Corporeidade e Africanidades de Denise Guerra dos Santos é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.
Based on a work at afrocorporeidade.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://afrocorporeidade.blogspot.com.

*FRUTOS DA DIÁSPORA AFRICANA*

*ACESSE http://www.africaeafricanidades.com.br*

*ACESSE  http://www.africaeafricanidades.com.br*

*"Capoeira é de Todos e de Deus. Mundo e gentes têm mandinga, Corpo tem Poesia, Capoeira tem Axé"*

*"Capoeira é de Todos e de Deus. Mundo e gentes têm mandinga, Corpo tem Poesia, Capoeira tem Axé"*
*Frase do Livro "Feijoada no Paraíso" Besouro*
Related Posts with Thumbnails

♫SUGESTÕES BIBLIOGRÁFICAS♫

  • *CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do Folclore Brasileiro. 6ª edição. Belo Horizonte: Itatiaia, 1988.
  • *COSTA, Clarice Moura. O Despertar para o outro: Musicoterapia. São Paulo: Summus Editorial, 1989.
  • * FREGTMAN, Carlos Daniel. Corpo, Música e Terapia. São Paulo: Editora Cultrix Ltda,1989.
  • *EVARISTO, Conceição. Ponciá Vicêncio. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2003.
  • * FREYRE, Gilberto. Casa grande e Senzala. 50ª edição. São Paulo: Global Editora, 2005.
  • *HOBSBAWN, Eric J. História Social do Jazz. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.
  • *LOPES, Nei. Bantos, Malês e Identidade Negra. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.
  • *_________. Dicionário Escolar Afro-Brasileiro. São Paulo: Selo Negro, 2006.
  • *_________. Enciclopédia Brasileira da Diáspora Africana. São Paulo: Selo Negro, 2004.
  • *_________. O Negro no Rio de Janeiro e sua Tradição Musical: Partido Alto, Calango, Chula e outras Cantorias. Rio de Janeiro: Pallas, 1992.
  • PEREIRA, José Maria Nunes. África um Novo Olhar. Rio de Janeiro: CEAP, 2006.
  • *RAMOS, Arthur. O Folclore Negro do Brasil. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
  • *ROCHA, Rosa M. de Carvalho. Almanaque Pedagógico Afro-Brasileiro: Uma proposta de intervenção pedagógica na superação do racismo no cotidiano escolar. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2006.
  • *___________. Educação das Relações Étnico-Raciais: Pensando referenciais para a organização da prática pedagógica. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2007.
  • *ROSA, Sônia. CAPOEIRA(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *__________. JONGO(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *___________. MARACATU(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *SANTOS, Inaicyra Falcão. Corpo e Ancestralidade: Uma proposta pluricultural de dança-arte-educação. São Paulo: Terceira Margem, 2006.
  • *SODRÉ, Muniz. Samba o Dono do Corpo. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.
  • TINHORÃO, José Ramos. Música Popular Brasileira de Índios, Negros e Mestiços.RJ: Vozes, 1975.
  • _________ Os sons dos negros no Brasil. São Paulo: Art Editora, 1988.