♫AMIGOS DO AFRO CORPOREIDADE♫

segunda-feira, 31 de maio de 2010

*Lançamento de mais um Livro da Escritora SONIA ROSA*



*A Escritora Sônia Rosa convida para o lançamento do seu mais recente livro:
*O CURIOSO MEDO DO HOMEM DE BARBA
*QUANDO? 19/06/2010 - 13h
*ONDE? na Biblioteca para Crianças - Centro Cultural da Ação da Cidadania
*ENDEREÇO: Av. Barão de Tefé, 75 - Zona Portuária - Rio de Janeiro
*
*Enviado através de Email pela autora a quem agradecemos!*
*

♫Sandra de Sá - África Natividade - 30 anos! Hoje no Rival BR 20h - Ainda dá tempo!♫


Para quem não foi, eis a chance de curtir algo a mais!
HOJE, gravação do programa Palco MPB Fm no Teatro Rival!!!
Sandra de Sá - AfricaNatividade - 30 anos!
Horário: às 20h
Nega produtora- produções & eventos
“Shows, eventos e música preta só faz quem entende.”
*
*Enviado por email*

domingo, 30 de maio de 2010

♫MAKULA - Festa da Copa da África - 12/06 no Teatro Odisséia - Dia do Jogo da Nigéria♫




FESTA DA COPA DA ÁFRICA, 12/06, no Teatro Odisséia, com MAKULA + ABAYOMY AFROBEAT ORQUESTRA + participação de OTTO + muito mais! Lista amiga (R$15,00) aberta na comunidade!


ESCUTE O PROGRAMA MAKULA, em PROGRAMAS GRAVADOS, no site da RÁDIO GRUTA: www.radiogruta.com


A MAKULA é basicamente uma festa de Afrobeat, gênero musical que assimila jazz, soulfunky e elementos propriamente africanos criado pelo nigeriano Fela Kuti. Nela também marcam presença alguns outros ritmos africanos como Highlife, Juju, Soukous, Afrosoul, Afrorock, Vodoo Funk, Räi e Kuduro.Comparecem nos CDJs da MAKULA bandas e artistas como Matata, Antibalas, Kokolo, Babatunde Olatunji, Franco, Manu Dibango, Orchestra Baobab, Tony Allen, Miriam Makeba, Seun Kuti, Orlando Julius, Vis-a-Vis, Lafayette Afro Rock Band, , Mulatu Astatke, K. Frimpong, The Daktaris, Orchestre Poly-Rythmo de Cotonou, Koffi Olomide etc (além do referido fundador da banda Africa 70, obviamente) mostrando a potência dos sons e ritmos do continente negro num repertório muito pouco – quando nunca – executado pela grande maioria dos DJs cariocas, e mesmo pelos de outros estados do Brasil.


A MAKULA conta com os DJs Gustavo Benjão (DO AMOR); Lucio Branco (SOUL, BABY, SOUL!) e Zé McGill (from Oregon!). Para criar o clima afro da noite, no telão são exibidos filmes temáticos como Black President (documentário sobre Fela Kuti) e filmes etnográficos de Jean Rouch. A grife Balaco, especializada em motivos africanos, garante atrações na MAKULA como desfiles, exposições, decoração ambiente e a presença de dançarinos a caráter na pista.
*
*
*

*Votem em "O ARTILHEIRO" - Um Curta Goleador!*


Olá Pessoal, peço desculpas por não estar atualizando o Blog como de costume, pois, tenho estado muito atarefada com novas atividades no trabalho. Esta semana infelizmente deixei de anunciar três eventos por falta de tempo, no entanto, quero deixar registrado o trabalho do meu amigo Clementino Junior do Blog http://atlanticonegro.blogspot.com/ que exibiu ontem (29/05) o seu curta "O ARTILHEIRO" no CineFoot, um evento do Unibanco Artiplex no bairro de Botafogo - Rio de janeiro, o qual está em votação na mostra competitiva do CINEFOOT, o primeiro festival de cinema de futebol... e concorrendo também ao troféu PORTAS CURTAS. Acessem o link e votem nas estrelinhas (sei que vcs vão gostar, então, votem 5 estrelinhas por favor!) neste endereço:
*
*Ah, Para quem não conhece nenhum dos curtas do clementino, é uma oportunidade de conhecer algo do seu trabalho. Este curtinha de 2 minutos já foi a 8 festivais internacionais, passando por Cuba (Festival de Havana), Portugal (Cinanima), Argentina e Itália... VOTEM NELE, Ele merece!!! Desde já agradeço o apoio às boas causas AFROs, Bom Domingo! Denise Guerra.
*
*Enviado através de email pelo amigo Clementino Junior.

*

terça-feira, 25 de maio de 2010

*Oh ÁFRICA! Salve o dia da Mãe África! 25 de Maio*

video

OH ÁFRICA - (AKON)


Oh Africa...
I know that we have to take it to the goal 'cause

everyone's depending on we

See we ain't got nowhere to go but up, it's our destiny
We're choosing the way, we'll do what it takes to get to the top of the highest mountain

We'll do anything, we got to prove ourselves 'cause we know
Oh Africa...
See we'll never be able to forget this day 'cause it's the greatest day of our life

See no matter what happens at least we can say "we came, we saw, we tried"
We're choosing nowhere, we'll do what it takes to get to the top of the highest mountain

We'll do anything, we got to prove ourselves 'cause we know
Oh Africa...
This is our time to shine, our time to fly, our time to be inside the sky

Our time to soar, our time to saw, the last one in football

TRADUÇÃO

Oh África - (Akon)
Oh África...
Eu sei que temos de levá-la ao objetivo porque todos dependem de nós
Veja nós não temos para onde ir, mas acima, é o nosso destino
Estamos escolhendo a forma, vamos fazer o que for preciso para chegar ao topo da montanha mais alta
Nós vamos fazer alguma coisa, temos que provar a nós mesmos porque nós sabemos
Oh África...
Veja nós nunca seremos capazes de fazer esquecer este dia é o maior dia da nossa vida
Veja, não importa o que acontece, pelo menos, podemos dizer que "nós viemos, nós vimos, nós tentamos"
Estamos escolhendo nada, nós vamos fazer o que for preciso para chegar ao topo da montanha mais alta
Nós vamos fazer alguma coisa, temos que provar a nós mesmos porque nós sabemos
Oh África...
Esta é a nossa vez de brilhar, a nossa hora de voar, o nosso tempo para estar dentro do céu
O nosso time a subir, o nosso tempo a viu, a um passado no futebol
Oh África

*

*Fontes:

http://www.youtube.com/watch?v=YI4sDx6SGwA

http://letras.terra.com.br/akon/1632254/

*

domingo, 23 de maio de 2010

*Interface da Dança Contemporânea com a Dança Afro-Brasileira: Vídeos e Conversas com Convidados - 24/05/10 - 14h no Centro Coreográfico do Rio*


Rua José Higino, 115 - Tijuca
Rio de Janeiro - RJ
Telefone: (021) 2238-2183
*
*Fonte:
Recebido através de email

*Banco Central do Brasil Lança a Moeda Comemorativa da Copa do Mundo da África do Sul*




O Banco Central já está em clima de Copa do Mundo. Por isso, lançou em 21/05/2010 a moeda comemorativa da Copa do Mundo da Fifa – África do Sul 2010. A moeda de prata tem valor de face R$ 5,00. No anverso, há uma paisagem da savana africana com um jogador de futebol, em composição com o mapa da África, com destaque para a África do Sul. O reverso destaca a imagem de dois jogadores em movimento com a bola, tendo ao fundo versão estilizada da bandeira do Brasil.

De acordo com o Banco Central, a tiragem máxima da moeda será de 25 mil peças, que serão comercializadas no Brasil e no exterior. A Fifa ainda definirá as empresas autorizadas a vender a moeda fora do Brasil.

O Brasil foi um dos países convidados pela Fifa para integrar o programa de emissões numismáticas da Copa do Mundo, ao lado de Portugal, França, Espanha, Alemanha, Austrália e diversos outros, além da própria África do Sul. As emissões numismáticas especiais são uma prática internacional que tem como principal objetivo difundir a história e a identidade cultural da nação, consolidando o padrão monetário no país e no exterior.

O Banco Central registrou em moedas comemorativas eventos esportivos de interesse nacional, como os lançamentos relativos ao Tetracampeonato Mundial de Futebol (1994), ao Pentacampeonato (2002) e aos XV Jogos Pan-americanos (2007).

Os interessados em comprar a moeda deverão desembolsar, no Brasil, R$ 108. As moedas poderão ser adquiridas nas representações regionais do Banco Central. O pagamento deve ser feito em dinheiro. Na internet, a moeda pode ser comprada pelo sítio do Banco do Brasil (https://moedas.bb.com.br/inicio-apresentacao.vpc). Neste caso, o pagamento pode ser com débito em conta (para os correntistas do BB) ou com boleto bancário. Não será aceito cartão de crédito.

*Fonte:
*
*

sexta-feira, 21 de maio de 2010

*SEMINÁRIO - 122 Anos de Abolição: Para Onde Vamos?* EXPOSIÇÃO - ÁFRICA: Berço da Humanidade?*

CONVITE
*
A Caixa Econômica Federal, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e o Conselho Municipal de Defesa dos Direitos do Negro e Promoção da Igualdade Racial e Étnica de Duque de Caxias, o COMDEDINEPIR, têm o prazer de convidar para a ação cultural “122 Anos de Abolição: para onde vamos?”, que será realizado no próximo dia 28 de maio, sexta-feira, no Centro Cultural Oscar Niemeyer.

Confira a programação:
No Teatro Municipal Raul Cortez: Seminário com debates e reflexões sobre o tema, com a presença de representantes, ativistas e pesquisadores do Movimento Negro, como Abdias Nascimento, Muniz Sodré, Wilson Prudente, Zezé Motta, entre outros – das 9h às 18h;

Na Praça do Pacificador:
Gincana de Artes Plásticas, em homenagem ao Dia do Artista Plástico, sobre o tema do evento - das 8h às 17h;
No Teatro Municipal Raul Cortez:
Abertura da Exposição “África: Berço da Humanidade?”, do artista Oséias Casanova, que irá ficar em cartaz de segunda à sexta-feira, de 10h às 17h, até o dia 11 de junho de 2010;

Essa ação conta com a parceria da Secretaria Municipal de Educação, da Secretaria Municipal de Assistência Social, da Coordenadoria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos,do Caxias Shopping. É uma produção da Terreiro de Idéias - Arte, Comunicação, Cultura e conta com o patrocínio exclusivo da Caixa Econômica Federal.
*Recebido Através de Email*

*Colóquio Internacional AIMÉ CÉSAIRE: Africanidades e Pensamento Negro - 20 a 25/05/2010 - Rio, BH, RS, Bahia*


Programação Geral:
Documentário: "Papa Césaire", de Sarah Maldoror (Guadelupe, Caribe)
*
Conferência:
O Conceito de Negritude, segundo Aimé Césaire (Carlos Moore, Cuba)
*
Lançamentos:
"Discurso sobre a Negritude" (Aimé Césaire, Nandyala Editora, 2010) - versão trilíngue (francês, inglês e português) - Organização: Carlos Moore
*
"O Marxismo e a Questão Racial" (Carlos Moore, Nandyala Editora, 2010).
*
Simpósios Itinerantes:
1ª. fase: ampla socialização, disseminação e problematização do conceito de Négritude em espaços altamente significativos em termos de produção intelectual e cultural no País. Esta iniciativa evidenciará a complexidade e a diversidade de acepções do referido conceito, as tensões existentes entre os intelectuais negros à época (em particular, Césaire e Senghor), como também reforçará suas bases teórico-científicas e político-ideológicas, especialmente no que tange aos fundamentos étnicos e políticos das identidades negras e das suas formas de resistência às violentas e sutis expressões do colonialismo e do imperialismo.
*
*20 de maio, quinta-feira, às 18h 30min - RJ
Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro - ALERJ, Auditório Senador Nelson CarneiroPalácio Tiradentes, Rua Primeiro de Março, s/n - Praça XV
*
*22 de maio, sábado, 10h 30min - MG - Palácio das Artes - Cine Humberto Mauro - Av. Afonso Pena, 1537 – Centro – Belo Horizonte
*
*24 de maio, segunda-feira, 19h 30min - RSAssembleia Legislativa, Teatro Dante Baroni - Praça Marechal Deodoro, 101 - 1º and. - Centro, Porto Alegre.
*
*25 de maio, terça-feira, 18h - BA - Biblioteca Pública do Estado da Bahia, Quadrilátero - Rua General Labatut, 27, Barris., Salvador.
*
Entrada Franca
*
*Recebido através de Email*

quinta-feira, 20 de maio de 2010

♫PROJETO CRIOLICE RECEBE O CANTOR E COMPOSITOR NOCA DA PORTELA NO PRÓXIMO SÁBADO EM PADRE MIGUEL♫


O “Projeto Criolice” Corredor Cultural Marquinhos PQD e Grupo Opaxorô recebem no próximo sábado (22), a partir das 18h, o cantor ,compositor e instrumentista Osvaldo Alves Pereira,mas conhecido no mundo do samba como: “ Noca da Portela” no CREIB de Padre Miguel que fica na Rua General Gomes de Castro, nº 300, em Padre Miguel. O show é totalmente grátis.

O artista que já declarou que tem mais de 300 músicas gravadas por quase todos os artistas brasileiros, promete cantar sucessos como: Isto tem que acabar (com Mauro Duarte), gravada por Ataulfo Alves Júnior; Capital do samba, gravada por Eliana Pittman; Condição (com Barbosa da Silva), Fontana na interpretação do grupo MPB-4; e A queda (com Délcio Carvalho), gravada por Sonia Lemos, Festa no arraiá, em parceria com Jackson do Pandeiro; compôs com Martinho da Vila Nem a lua; e com Nelson Gonçalves, Aos pés do altar e vários sambas enredos da querida Portela; A alegria continua (c/Mauro Duarte Oliveira), 1974; Gosto que me enrosco (c/Colombo e Gelson), samba-enredo, 1995; O homem do Tacoval (c/Colombo e Edir), samba-enredo, 1976; Portela querida (c/Picolino e Colombo), samba, 1968; Recordar é viver (c/Edir, J. Rocha e Poli), samba-enredo, 1985; Tudo é diferente (c/Colombo e Edir Gomes), samba, 1972.

Nos intervalos rola um Charme e clássicos da Black Music sob o comando do DJ Henrick que não deixa ninguém ficar parado no espaço que reúne gente bonita dos quatros cantos da cidade com segurança e comodidade.

Cronograma: 16h às 18h – Clássicos da Música Negra com DJ Henrick- 18:00 às 19 – Resgate do samba de raiz com OPAXORÔ- 19:00 Marquinho PQD recebe Noca da Portela - 22:00 às 22:30 – DJ Henrick-22:30 às 24:00 – Encerramento com Opaxorô.

Serviço:
Projeto Criolice-Show com Noca da Portela
Data: 22 de Maio de 2010- Grátis
Inicio do evento: 18h
Horário do show: 19h
Local: CREIB de Padre Miguel
Endereço: Rua General Gomes de Castro, nº 300, em Padre Miguel
Classificação: Livre
Enildo do Rosário( Viola) - Assessoria de Imprensa e Divulgação.
*Recebido Através de Email*

terça-feira, 18 de maio de 2010

*Oficina “Matriz Africana e Ação Educativa”*


IPEAFRO SANKOFA 2010
Auditório do Arquivo Nacional, RJ
Praça da República (Campo de Santana)
Próximo à Central do Brasil
A Oficina “Matriz Africana e Ação Educativa”, um espaço de reflexão e ação para educadores e para estudantes de pedagogia, licenciatura e formação de professores (ensino médio) acerca da matriz africana no cotidiano escolar, em duas sessões de duas horas e meia, dias 9 e 10 de junho às 10h.
Certificado. Vagas limitadas. Para se inscrever, envie um email para ipeafro@gmail.com com o assunto INSCRIÇÃO OFICINA.
O Fórum Educação Afirmativa Sankofa é um espaço para discussão e debate sobre políticas afirmativas de diversidade e inclusão no ensino brasileiro em todos os níveis, contemplando a população afrodescendente e sua história e cultura, em quatro sessões nas tardes dos dias 7, 8, 9 e 10 de junho.
Certificado. Para se inscrever, envie um email para ipeafro@gmail.com com o assunto INSCRIÇÃO FÓRUM.
O novo Site Ipeafro apresenta o conteúdo digitalizado do Acervo Abdias Nascimento / Ipeafro por meio do projeto “Acessando a História e a Cultura Afro-Brasileiras”.O Kit Ipeafro para Educadores é um conjunto de textos e materiais para apoiar a ação educativa acerca da história e da cultura de matriz africana.

PROGRAMAÇÃO
Segunda-feira, dia 7 de junho.
14h - Sessão de Abertura.
15h - Apresentação do Site Ipeafro e do Kit Ipeafro paraEducadores.
16h - Exibição do vídeo“Acervo Abdias Nascimento - Acessando a História e a Cultura Afro-Brasileiras”.
17h - Coquetel.
Terça-feira, dia 8 de junho.
14h30 - Políticas Afirmativas: Interfaces entre Acesso eConteúdo.“Ações Afirmativas nas Universidades Públicas: a Lei 10.639/03 como política de ação afirmativa”. Elielma Ayres Machado (UERJ).
“Quais Áfricas Ensinar? Críticas e possibilidades a partir da Lei 10.639/03". Wilson Mattos (UNEB e CNE).
"Afrocentricidade e Educação: os princípios gerais paraum currículo afrocentrado". Renato Nogueira (UFRRJ).
“Perspectiva do universitário”. Leomir Dornellas (FEOP).Moderador - Carlos Alberto Medeiros, Coordenador Especial de Promoção da Igualdade Racial do Município do Rio de Janeiro.
Quarta-feira, dia 9 de junho.
10h - Oficina “Matriz Africana e Ação Educativa” - Sessão I.
Espaço de reflexão e ação para educadores e para estudantes de pedagogia, licenciatura e formação de professores (ensino médio), acerca da matriz africana no cotidiano escolar.
Coordenadoras - Professoras Azoilda Loretto da Trindade (SME/RJ, FFP/UERJ) e Carla Lopes (Arquivo Nacional, CE Professor Sousa da Silveira).
14h - Faces e Enlaces das Matrizes Africanas.“África e Diáspora no Ensino Brasileiro”. Alain Pascal Kaly (UFRRJ e Unicamp).“Matriz africana no Brasil, Ativismo e educação”. Renato Emerson (FFP/UERJ).
Moderador - Ibrahima Gaye, Consul Honorário do Senegal e diretor do Centro Cultural Casa África em Belo Horizonte.
16h - Guerreiras de natureza:Gênero, cosmogonia e natureza no ensino de nossas crianças.Mãe Beata de Yemanjá - Mãe de santo e chefe da comunidade terreiro de candomblé Ilê Omiojuaro, localizado no município de Belford Roxo, Estado do Rio de Janeiro.“Ecologia e Sustentabilidade da Cultura do Candomblé”. Aderbal Moreira, coordenador do Ponto de Cultura Omo Aro Companhia Cultural.
“Guerreiras do Samba”. Helena Theodoro (CEDINE / RJ e ETA/FAETEC).“Educadoras de Natureza: Mulher negra e religiosidade afro-brasileira”.
Maria de Lourdes Siqueira (E.H.S.S., Paris, UFBA, Ilê Aiyê). Moderador - Éle Semog, poeta e pedagogo; atua na área de educação com especial ênfase no processo de implantação da Lei 10.639/03.18h -
Filme Gisèle Omindarewa, 71′, 2009, de Clarice Peixoto. Documentário sobre a vida de uma mãe de santo francesa e o cotidiano do seu terreiro em Santa Cruz da Serra, RJ.
Quinta-feira, 10 de junho.
10h - Oficina “Matriz Africana e Ação Educativa” - Sessão II.
14h - Diálogo: Matriz Africana,Escola e Academia.
Apresentação dos resultados da oficina pelas coordenadoras Azoílda Trindade e Carla Lopes. Comentários e debate com Mônica Lima, doutora em história, com tese sobre história da África, e professora do Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
17h - Encerramento do Fórum O encerramento será a cerimônia de entrega do Prêmio Ipeafro Sankofa à Dona Aparecida Silva Prudente, mãe dos Drs. Wilson Prudente, Procurador do Ministério Público do Trabalho, mestre em ciências jurídicas e sociais pela UFF, e Celso Prudente, antropólogo, cineasta, doutor em cultura pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, curador da Mostra Internacional do Cinema Negro, ambos ativistas do movimento negro e autores de diversas publicações.
Participação de Dulce Vasconcellos, Professora Conselheira do Comdedine / Rio, homenageada no Fórum Ipeafro 2007, e Madiagne Diallo, cidadão senegalês e professor de engenharia industrial da PUC-Rio.
*
*Recebido através de email enviado pelos amigos do Grupo Denegrir.
*

*ATENÇÃO AMIGOS GANHADORES DA PROMOÇÃO DO FILME QUINCAS BERRO D'AGUA*


ATENÇÃO AMIGOS GANHADORES DA PROMOÇÃO DO FILME QUINCAS BERRO D'AGUA:

*XANDÚ vc foi o primeiro a escrever os nomes de dois atores negros que estão no filme. Parabéns!!! o primeiro brinde (Uma camisa com logo do filme) é seu!

*GUARÁ vc foi o segundo a se pronunciar corretamente e levou o segundo brinde (Um par de ingressos para assistir o filme), Parabéns!!!

*SIMONE do Blog Bravo Afro Brasil vc foi a terceira a escrever os nomes dos atores negros participantes do filme corretamente e faturou o terceiro brinde (um descanso para copos), Parabéns!!!

*Entrarei em contato com vcs pelo email, caso tenham mudado o email atual comuniquem-se comigo pelo email: denise.guerra5@gmail.com Os brindes deverão ser enviados pelo Núcleo da Idéia através dos serviços de correios. Aguardem!
*
*Agradecemos ao Filipe de Paiva do Núcleo da Idéia pela disponibilidade e gentileza!!! Caso apareçam mais brindes distribuirei com os demais participantes. OBRIGADA PELA PARTICIPAÇÃO DE TODOS!!! Bjs no coração!!!

domingo, 16 de maio de 2010

*PROMOÇÃO Do Filme QUINCAS BERRO D'ÁGUA*

video


*Caros Amigos e leitores,

*Recebi do Núcleo da Idéia (empresa que faz o marketing do Filme Quincas Berro D'água, baseado na obra de Jorge Amado) alguns brindes para sortear entre os visitantes e seguidores do Blog Afro Corporeidade.

*Para participar da promoção basta fazer um comentário aqui no Blog Afro Corporeidade destacando os NOMES DE DOIS ATORES NEGROS que participam deste filme.

*Deixe também um email para contato caso vc seja o ganhador terei que combinar como entregar o seu brinde.

Os Brindes são:

1º Comentário - Uma camisa do filme.

2º Comentário - Um par de Ingressos para assistir ao filme que estréia dia 21/05/10.

3º Comentário - Um descanso para copos.

*PARA CONHECER O ELENCO DO FILME VEJA O TRAILER ACIMA OU ACESSE O SITE OFICIAL NO ENDEREÇO http://wwwquincasberrodagua.com.br

LEMBRE-SE: SÓ GANHARAM OS BRINDES OS 3 PRIMEIROS QUE ESCREVEREM AS RESPOSTAS CERTAS. BOA SORTE!

*Linchamento Étnico e Ideologia de Dominação*


*
(...)Na América do Sul, da mesma forma que na África do Sul ou na América do Norte, o ato sexual entre branco dominador e negra conquistada constitui traço fundamental do racismo: um instrumento de dominação por si mesmo. Sua origem social está no estupro violento da mulher africana pelo senhor escravista, e a sistemática prostituição da primeira para o lucro do segundo. Mais profundamente encontra-se na tendência bélica, universal entre as sociedades patriarcais, de estuprar as mulheres de povos derrotados, como elemento rotineiro da pilhagem consequente à conquista.

(...)Também se evidencia na crescente taxa generalizada de estupros e de agressão sexual depois da deflagração do chamado movimento feminista, refletindo a tentativa de reafirmação masculina de domínio político, desafiado por tal movimento.

Vale dizer que a política do estupro tem um aspecto complementar no sentido da dominação racial: o homem negro é a vítima fácil de falsas acusações (com a consequente prisão e/ou tortura) de violações à mulher branca.

O estupro, expressão e afirmação de relações de poder entre senhor e escravo, não constitui fenômeno exclusivamente latino: foi uma realidade sistêmica também nos tempos coloniais dos Estados Unidos. Maulana Ron Karenga observa que o estupro não era simplismente um ato sexual e pessoal contra a mulher negra, mas um contínuo terrorismo para dar lições concretas, para demonstrar a vulnerabilidade da mulher negra, a impotência do homem negro, e assim, a vulnerabiliade e a impotência da comunidade negra como um todo.

A sociedade patriarcal brasileira, e seus expoentes acadêmicos, da mesma forma que os do mundo hispano-americano, no entanto conseguiram edificar uma mistificação do estupro, infelizmente eficaz, que o apresenta como símbolo de relações raciais harmoniosas. Pierre Verger, por exemplo, nos informa loquazmente que "os meninos brancos filhos do senhor, experimentavam sua iniciação sexual com as garotas de cor que ficavam trabalhando na casa grande ou nos canaviais, assim infundindo elementos de atração sexual e compreensão com o que se escolheu chamar de pessoas e raças diferentes."

Se Verger "escolheu" chamar as mulheres africanas de "pessoas de outra raça", elas não tiveram a oportunidade de se manifestar nesse sentido quando foram arrancadas da sua terra natal, trazidas à força para terras alheias, e vitimadas pela agressão sexual do opressor, tudo isso sob a justificação de que pertenciam a uma "raça inferior". Com essa declaração, Verger exemplifica a idéia do estupro como sintoma de uma relação saudável e feliz entre os seres humanos. Esse conceito se baseia, evidentemente, no preceito básico das sociedades patriarcais, de que "as mulheres gostam da coisa, de qualquer maneira que venha", racionalização milenar da violência sexual como instrumento e sintoma de dominação.(...)

Outro símbolo da chamada democracia racial latino-americana é a mulata, aparentemente concebida como objeto de um desejo ou um prazer cultivado exclusivamente pelo branco latino. Contudo, a verdade é outra: a mulata constituiu e contitui "um objeto sexual preferido também nos Estados Unidos, famosa pela sua beleza e ardor". A mulata clara, denominada em inglês a "high-yaller woman" (moça alta-amarela), "tem sido sempre valorizada como amante entre os homens brancos."(...)Nas palavras de Lélia González:

Já o termo "mulata" implica na forma mais sofisticada de reitificação: ela é denominada "produto de exportação", ou seja, objeto a ser consumido pelos turistas e pelos nacionais burgueses. Temos aqui a enganosa oferta de um pseudomercado de trabalho que funciona como um funil e que, em última instância, determina um alto grau de alienação.

A hierarquia social da pigmentação tampouco constitui fenômeno exclusivamente latino.(...)a estética da brancura opera para criar uma estratificação de prestígio baseado nos matizes da epiderme(...)
(...)Etnicamente falando, o supremacismo branco tem sido sempre a causa de cisões no mundo negro, lançando o negro de cabelo liso contra o negro de cabelo encaracolado; colocando o negro de nariz afilado contra o negro de nariz chato; opondo o negro de origem africana ao de origem asiática; e finalmente, indispondo o negro das Américas contra o da África e da Ásia. Não há limite às divisões patrocinadas pelo supremacismo branco no mundo negro.
*
*Fonte:
Pan-africanismo na América do Sul Emergência de uma rebelião negra (Elisa Larkin Nascimento)
*

quinta-feira, 13 de maio de 2010

*Reestréia: SETE VENTOS - Depoimento de mulheres negras e o mito de Iansã com Débora Almeida no Teatro Cia dos Atores*


*SETE VENTOS- monólogo baseado em depoimentos de mulheres negras e no mito de Iansã.
Temporada de 14 de maio a 07 de junho no Teatro da Cia dos Atores, Escadaria Selaron, Lapa - REF. RUA JOAQUIM SILVA.
Sextas, sábados e segundas-feiras às 20h/ Domingo às 19h.
*
*Recebido através de email*
*MAIORES INFORMAÇÕES
Débora Almeida
Atriz e Produtora Cultural
21-9762-4313

*Aula de Diáspora Africana - 13/05/2010 - 18h - UFF - Niterói*


*Recebido através de Email*

segunda-feira, 10 de maio de 2010

*JOSÉ DO PATROCÍNIO: A imorredoura cor do bronze - Lançamento do livro do autor Uelinton F. Alves no Centro Afro Carioca de Cinema*


*Repassando o convite para a noite de autógrafos do livro biográfico JOSÉ DO PATROCÍNIO: a imorredoura cor do bronze.
*Data: 12/05/2010 - 19h
*Local: Centro Afro Carioca de Cinema
*Rua Joaquim Silva nº40 - Lapa
*Confirme sua presença no email: afrocarioca.divulgação@gmail.com
*

*OFICINA DE DANÇA AFRO - Sábados de Maio de 2010 - no Centro Coreográfico do Rio de Janeiro*


Endereço: Rua José Higino, 115 - Tijuca (ao lado do Extra) Tel: 2570-1247 , 2268-7139.
*Recebido através de email enviado pelo Centro Coreográfico do Rio de Janeiro ao qual agradecemos.

domingo, 9 de maio de 2010

*MÃE ÁFRICA* Líria Porto *FELIZ DIA DAS MÃES!*

Copo-de-leite, lírio-do-nilo, cala-branca, jarra, jarro
Flor originária da África do Sul
*
*MÃE ÁFRICA (Poema - Líria Porto)*
*
meu sangue é negro
minha pele não
eu ouço os teus batuques
os açoites aos teus filhos
e os seus gemidos doem-me
na minha carne...
em cada parede

nos muros
nas igrejas e nas cercas
nas roupas lavadas
nas cadeias
no laranjal
há espinhos cravados
fundo
no coração
da mãe áfrica...
um dia será diferente

todo o povo vai saber
ergue-se um combatente
estende a mão a um outro
que se levanta
e mais outro
haverá uma corrente
e haverá salvação...
e todos os dias

serão teus
minha mãe...

Fonte:

sábado, 8 de maio de 2010

♫Mandamentos Blacks - Gerson King Combo♫


MANDAMENTOS BLACKS ( Música de Gerson King Combo)
Pena que não estou conseguindo fazer uploud do vídeo, mas, procurem no youtube, vale apena!


Brother!!!

Assuma sua mente,brother!

E chegue a uma poderosa conclusão
de que os blacks
não querem ofender a ninguém, brother!

O que nós queremos é dançar!

Dançar,dançar e curtir muito soul.
Não sei se estou me fazendo entender.

O certo, é seguir os mandamentos blacks,que são,baby:

Dançar,como dança um black!

Amar,como ama um black!

Andar,como anda um black!
Usar, sempre o cumprimento black!
Falar,como fala um black!

E eu te amo, brother!!

Viver, sempre na onda black!

Ter,orgulho de ser black!
Curtir o amor de outro black!

Saber, saber que a cor branca,

brother é a cor da bandeira da paz,

da pureza e esses são os pontos de

partida para toda a coisa boa,
brother!

Divina razão pela qual amo vc tbm, brother!

Eu te amo brother!!

E eu te amo brother!!!

*
*Fonte:

sexta-feira, 7 de maio de 2010

*ÁFRICA: A BOLA DA VEZ*

Agora é o momento em que toda a sociedade mundial voltará seus olhos para a África, mais particularmente para o país da África do Sul, onde será realizada a copa do mundo de 2010. Vários periódicos lançam no mercado sua versão da África e da África do Sul. Ainda não li, mas, aqui está a revista NOVA ESCOLA de maio/2010, edição 232, com o tema África: a bola da vez. Vamos conferir! Acesse o site: http://revistaescola.abril.com.br/edicoes-impressas/232.shtml



quarta-feira, 5 de maio de 2010

♫Exposição em Buenos Aires revela a "história Negra" do Tango♫


Exposição "Historia Negra Del Tango" traz fotografias originais de época, como a do show de Buenos Aires

O tango, de raízes suburbanas, tem também uma "história negra" que se relaciona com os ritmos afroargentinos, um "segredo" que foi resgatado pelo antropólogo Norberto Pablo Círio."Apesar de sempre existir esse rumor sobre a presença negra no tango, esse assunto nunca foi bem estudado e compreendido", explica à Agência Efe Círio, promotor da exposição "Historia Negra Del Tango", que acaba de ser inaugurada em Buenos Aires.

O antropólogo decidiu entrar em contato com a comunidade argentina de ascendência africana para saldar essa "dívida histórica e social com um dos grupos fundadores do país".Sob o lema que "tudo tem sua história negra, mas desta vez estamos orgulhosos", o antropólogo organizou uma mostra composta por mais de uma centena de peças que pretendem provar este pioneiro enfoque sobre uma realidade que havia sido vagamente tratada na academia e sempre a partir de uma perspectiva branca, lembra Círio.

Foto feita em Buenos Aires (1920) de um compadrito, figura típica dos cabarés portenhos. Partituras, discos e fotografias originais de época e em sua maior parte inéditas cedidas para a ocasião formam o percurso feito nas últimas décadas do século 19 e analisa o candombe, "a música e o baile distintivos e emblemáticos desta comunidade", e a música de carnaval, que para Círio desenham o contexto no qual nasceu o tango.


A exposição aprofunda na presença de afroargentinos nos diferentes períodos do tango como gênero, a partir da figura de Rosendo Mendizabal, "um marco indiscutível" nas origens do tango, opina o especialista."Joia"A maior "joia" da mostra, instalada no museu Casa Carlos Gardel, é uma partitura original de 1897 de "El Entrerriano", uma das mais importantes composições de Mendizabal, cuja publicação marcou para Círio a origem da "Guardia Vieja" como período estilístico do tango.

A exposição destaca também as figuras do compositor e músico Ruperto Leopoldo Thompson, quem introduziu o chamado estilo "canyengue", e do pianista e compositor Horacio Salgán, cujo tango "A fuego brando" foi "o germe de todo o movimento estético de Astor Piazzolla e sua escola", assegura o antropólogo.Outro dos compositores destacados na mostra é Enrique Maciel, cuja valsa "La pulpera de Santa Lúcia", de 1929, é de acordo com Círio "o hino, a obra emblemática das valsas crioulas".

Desenho de casal de negros dançando tango. Publicado no periódico "La Ilustración Argentina", de Buenos Aires, em 1882 "Desde a origem do tango até o presente sempre houve músicos, compositores e dançarinos negros", explica à Efe Horacio Torres, diretor do museu, quem lembra que dois dos seis guitarristas de Gardel eram afroargentinos.Completam a mostra partituras e discos de compositores brancos como Sebastián Piana e músicos como Alberto Castillo, que tratam a partir de diferentes perspectivas a temática da negritude.

Consulta inédita Círio considera que o inovador desta proposta é que "nunca antes a comunidade afroargentina tinha sido consultada e estudada, não havia sido dada uma oportunidade, espaço para uma palavra, voz e o voto a esta parte da história".Para ele, "no melhor dos casos que escreveram a favor desta teoria sempre o fizeram com base unicamente em documentos escritos por brancos, o que tornava a abordagem parcial."


Esta questão foi mal estudada por falta de provas, mas fundamentalmente pela curta visão europeísta, resultante de como pensam os argentinos como nação", em cuja construção da identidade "se enfatizou um projeto branco europeu e cobriu-se com um manto de esquecimento as outras tradições culturais anteriores, como a negra e a aborígine", conclui.


"LA HISTORIA NEGRA DEL TANGO"Onde: Museu Casa Carlos Gardel (Jean Jaurés, 735, Abasto, Buenos Aires, Argentina)Quando: de 23/4 a 21/5. Segundas, quartas, quintas e sextas das 11h às 18h; sábados, domingos e feriados das 10h às 19hQuanto: $1 peso argentino. Grátis às quartas-feiras
*Fonte:
*

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Projeto Educativo: ÁFRICA HEREDITÁRIA – Interativa / Bate-papo e Contação de Histórias Dramatizadas*



Um convite à reflexão, por meio de jogos, dramatizações, contação de histórias e outros instrumentos, sobre o continente africano: a força da palavra, do canto e da música na tradição dos griots (sábios e contadores de histórias). 0 público participará como personagem das histórias sobre o tema.


Visitas Orientadas ao Prédio Histórico:

Passeio pelo prédio com base na Sala de Sessões, a visita conta a história do prédio que abrigou o Supremo Tribunal, enfocando a reforma Haussmann em Paris e o seu correlato carioca na Reforma Pereira Passos, o Rio Antigo e a restauração.


*Informações e inscrições: edu.ccjf@trf2.gov.br ou 3261-2552 Mediante Agendamento De terça a sexta, das 13h às 17h*


*Entrada Franca*

Centro Cultural Justiça Federal

Av. Rio Branco, 241 – Centro Rio de Janeiro/RJ

(55 21)3261-2550

www.ccjf.trf2.gov.br

*Informações enviadas gentilmente por email pelas profªs Marta Bento e Vera Lúcia ambas da SEMEC - Japeri, as quais agradeço muitíssimo!

domingo, 2 de maio de 2010

*POR INCOMPETÊNCIA TÉCNICA E MORAL DA OI VELOX ESTOU SEM OS SERVIÇOS DE INTERNET DESDE 30/04, PEÇO QUE ME DESCULPEM!*


DESCULPEM-ME POR NÃO ESTAR COLOCANDO NOVAS POSTAGENS NEM RESPONDENDO AOS SEUS COMENTÁRIOS E EMAILS. MAIORES DETALHES DESTE TRANSTORNO NO BLOG ECOS DA CULTURA POPULAR: http://ecosdaculturapopular.blogspot.com

♫ESCOLA DE MÚSICA PENTAGRAMA♫ Direção Mapinha * Músico-Professor♫

♫ESCOLA DE MÚSICA PENTAGRAMA♫ Direção Mapinha * Músico-Professor♫
♫VIOLÃO * CAVAQUINHO * GUITARRA * BAIXO * FLAUTA * SAXOFONE * TROMPETE * TROMBONE * CLARINETE * GAITA * PIANO * TECLADO * CANTO * BATERIA * PERCUSSÃO GERAL♫ RUA IGARATÁ, Nº566 - MARECHAL HERMES - Rio de Janeiro* TEL(S):3456-1510/8133-3559* www.empentagrama.kit.net

*Registrado no Creative Commons*

Licença Creative Commons
Afro-Corporeidade e Africanidades de Denise Guerra dos Santos é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.
Based on a work at afrocorporeidade.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://afrocorporeidade.blogspot.com.

*FRUTOS DA DIÁSPORA AFRICANA*

*ACESSE http://www.africaeafricanidades.com.br*

*ACESSE  http://www.africaeafricanidades.com.br*

*"Capoeira é de Todos e de Deus. Mundo e gentes têm mandinga, Corpo tem Poesia, Capoeira tem Axé"*

*"Capoeira é de Todos e de Deus. Mundo e gentes têm mandinga, Corpo tem Poesia, Capoeira tem Axé"*
*Frase do Livro "Feijoada no Paraíso" Besouro*
Related Posts with Thumbnails

♫SUGESTÕES BIBLIOGRÁFICAS♫

  • *CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do Folclore Brasileiro. 6ª edição. Belo Horizonte: Itatiaia, 1988.
  • *COSTA, Clarice Moura. O Despertar para o outro: Musicoterapia. São Paulo: Summus Editorial, 1989.
  • * FREGTMAN, Carlos Daniel. Corpo, Música e Terapia. São Paulo: Editora Cultrix Ltda,1989.
  • *EVARISTO, Conceição. Ponciá Vicêncio. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2003.
  • * FREYRE, Gilberto. Casa grande e Senzala. 50ª edição. São Paulo: Global Editora, 2005.
  • *HOBSBAWN, Eric J. História Social do Jazz. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.
  • *LOPES, Nei. Bantos, Malês e Identidade Negra. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.
  • *_________. Dicionário Escolar Afro-Brasileiro. São Paulo: Selo Negro, 2006.
  • *_________. Enciclopédia Brasileira da Diáspora Africana. São Paulo: Selo Negro, 2004.
  • *_________. O Negro no Rio de Janeiro e sua Tradição Musical: Partido Alto, Calango, Chula e outras Cantorias. Rio de Janeiro: Pallas, 1992.
  • PEREIRA, José Maria Nunes. África um Novo Olhar. Rio de Janeiro: CEAP, 2006.
  • *RAMOS, Arthur. O Folclore Negro do Brasil. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
  • *ROCHA, Rosa M. de Carvalho. Almanaque Pedagógico Afro-Brasileiro: Uma proposta de intervenção pedagógica na superação do racismo no cotidiano escolar. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2006.
  • *___________. Educação das Relações Étnico-Raciais: Pensando referenciais para a organização da prática pedagógica. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2007.
  • *ROSA, Sônia. CAPOEIRA(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *__________. JONGO(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *___________. MARACATU(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *SANTOS, Inaicyra Falcão. Corpo e Ancestralidade: Uma proposta pluricultural de dança-arte-educação. São Paulo: Terceira Margem, 2006.
  • *SODRÉ, Muniz. Samba o Dono do Corpo. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.
  • TINHORÃO, José Ramos. Música Popular Brasileira de Índios, Negros e Mestiços.RJ: Vozes, 1975.
  • _________ Os sons dos negros no Brasil. São Paulo: Art Editora, 1988.