♫AMIGOS DO AFRO CORPOREIDADE♫

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

♫PEDRA DO SAL: 25 ANOS DE TOMBAMENTO!♫

*Por Mauro Viana



Os atores Chico Diaz e Silvia Buarque de Hollanda visitaram a Pedra do Sal, em razão dos 25 anos de tombamento do monumento histórico carioca. Recebidos pela partideira Márcia Moura (foto), os globais versaram sobre os filmes que retratam a Zona Portuária. Eles lembraram das seguintes produções: "Pequena África" de ZózimoBulbul, "Morro da Conceição", de Cistiana Grumbach, "Sal do Samba" de Álvaro Sarmiento ea "Revitalização Portuária" (Luiz Claudio Guilherme Dias).
*
*
*Foto enviada pelo jornalista Mauro Viana: Sílvia Buarque, Márcia Moura e Chico Diaz*

*

As cine-cartografias da região, felizmente, não esgotam as micro-histórias da Saúde, Santo Cristo, Gamboa, Morro da Providência,Morro do Pinto e Pedra Lisa. Estes bairros, é bom não esquecer, que formamos um cinturão histórico da Zona Portuária do Rio de Janeiro Histórico e turístico como a Pedra do Sal cujo tombamento data de 20 de novembro de 1984. O aniversário de 25 anos de tombamento, aliás, é o gancho do video-release do jornalista Mauro Viana. O pesquisador e escritor Hiram Araújo, os compositores Djalminha da Providência e Haroldo César, o grupo Batuque na Cozinha e todos os compositores do Samba na Fonte são personagens do video-documentário. O trabalho faz uma ponte entre a secular história da Pedra do Sal e os dias de hoje.

*
*
Para quem não sabe, a Pedra do Sal funcionava como local de mercados de escravos (casas de engorda) e toda a logística do tráfico de africanos nos séculos XVIII e XIX. Este marco histórico ressoa mesmo Depois da chamada abolição da escravatura, em 1888, este marco histórico permanece retumbando em todo o Brasil.
*
*
Cinematograficamente, o local transmutou-se em espaço sagrado. A Pedra do Sal é palco e cenário para partir de rituais afro-religiosos, batuques e rodas de capoeira. Sambistas e chorões como Donga, João da Baiana e Pixinguinha também elegeram a Pedra do Sal para seus encontros político-musicais, nos anos 20 do século passado.
*
*
Foto: Pedra do Sal http://imagesgoogle.com/
*
Mais adiante, nos anos 80, Ângela Moreira, esposa de Wilson Moreira (Wilson Moreira é parceiro de Nei Lopes em Senhora Liberdade) regeu memoráveis encontros de sambistas naquele santuário. Como a fila anda, no início do ano 2000, a Associação de Moradores da Saúde recebia centenas de jovens-universitários, em torno da feijoada e do grupo Panela Di Barro e da partideira Márcia Moura. Naquela época, as cantoras Adriana Passos, Julieta Brandão também eram artistas-residentes da Pedra do Sal. Além deste time, o grande Claudio Camunguelo emoldurava as tardes de domingo com seu desconcertante humor. Tudo isso, regado a refinada flauta do eterno estivador.
*
*
É bom registrar também que a pioneira feijoada da Pedra do Sal recebia ilustres convidados como Tia Surica, Haroldo Melodia, Bateria da Vizinha Faladeira, Beth Carvalho, GeisaKety, Wilson Moreira e muitos outros. Na verdade o Sal do Samba, era abençoado pelas Baianas do Acarajé. nas figuras de Mãe Estela, Mãe Raimundinha, Ekéde Maria Moura e protegidas pelos capoeiras de MestreArerê, recolocou-se a Pedra do Sal no mapa turístico da cidade. Se houver alguma dúvida pergunte ao jornalista e escritor Délcio Teobaldo ou aos fotógrafos Jorge Ferreira e Maurício Hora. Tem ainda a opção de consultar o músico Carlinhos Trumpete, o poeta Wilson Biblio ou a pesquisadora Dalva Beltrão. Eles colecionam um rico acervo deste momento da Pedra do Sal.
*
*
É isso gente, além de recolocar a Pedra do Sal no seu devido lugar entre os monumentos históricos do Rio de Janeiro, o Sal do Samba, como era conhecido, serviu de inspiração para a retomada das feijoadas das Escolas de Samba. Alguma dúvida? Pergunte à Tia Surica, ao Marquinhos de Oswaldo Cruz, ao Steve da Mangueira ou ao Jorginho do Império. Para quem ainda não se situou, a Pedra do Sal fica nas imediações Praça Mauá.
*
*
*Informações Gentilmente enviadas pelo jornalista Mauro Viana que é Diretor da Associação Cultural República do Samba(www.republicadosamba.org) - republicadosamba@gmail.com - tel.55-21 -.8648-4736

2 comentários:

Guará Matos disse...

Depois dessa reprodução perfeita do mauro Viana, o RIO ENTERTAINMENT ficou sem um nicho para uma boa matéria, snif...
Hahahaha, que nada, ficou super maneiro.
Um grande beijo.

Denise Guerra disse...

Valeu Guará, obrigada pela agradável presença! Bjs!

♫ESCOLA DE MÚSICA PENTAGRAMA♫ Direção Mapinha * Músico-Professor♫

♫ESCOLA DE MÚSICA PENTAGRAMA♫ Direção Mapinha * Músico-Professor♫
♫VIOLÃO * CAVAQUINHO * GUITARRA * BAIXO * FLAUTA * SAXOFONE * TROMPETE * TROMBONE * CLARINETE * GAITA * PIANO * TECLADO * CANTO * BATERIA * PERCUSSÃO GERAL♫ RUA IGARATÁ, Nº566 - MARECHAL HERMES - Rio de Janeiro* TEL(S):3456-1510/8133-3559* www.empentagrama.kit.net

*Registrado no Creative Commons*

Licença Creative Commons
Afro-Corporeidade e Africanidades de Denise Guerra dos Santos é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.
Based on a work at afrocorporeidade.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://afrocorporeidade.blogspot.com.

*FRUTOS DA DIÁSPORA AFRICANA*

*ACESSE http://www.africaeafricanidades.com.br*

*ACESSE  http://www.africaeafricanidades.com.br*

*"Capoeira é de Todos e de Deus. Mundo e gentes têm mandinga, Corpo tem Poesia, Capoeira tem Axé"*

*"Capoeira é de Todos e de Deus. Mundo e gentes têm mandinga, Corpo tem Poesia, Capoeira tem Axé"*
*Frase do Livro "Feijoada no Paraíso" Besouro*
Related Posts with Thumbnails

♫SUGESTÕES BIBLIOGRÁFICAS♫

  • *CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do Folclore Brasileiro. 6ª edição. Belo Horizonte: Itatiaia, 1988.
  • *COSTA, Clarice Moura. O Despertar para o outro: Musicoterapia. São Paulo: Summus Editorial, 1989.
  • * FREGTMAN, Carlos Daniel. Corpo, Música e Terapia. São Paulo: Editora Cultrix Ltda,1989.
  • *EVARISTO, Conceição. Ponciá Vicêncio. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2003.
  • * FREYRE, Gilberto. Casa grande e Senzala. 50ª edição. São Paulo: Global Editora, 2005.
  • *HOBSBAWN, Eric J. História Social do Jazz. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.
  • *LOPES, Nei. Bantos, Malês e Identidade Negra. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.
  • *_________. Dicionário Escolar Afro-Brasileiro. São Paulo: Selo Negro, 2006.
  • *_________. Enciclopédia Brasileira da Diáspora Africana. São Paulo: Selo Negro, 2004.
  • *_________. O Negro no Rio de Janeiro e sua Tradição Musical: Partido Alto, Calango, Chula e outras Cantorias. Rio de Janeiro: Pallas, 1992.
  • PEREIRA, José Maria Nunes. África um Novo Olhar. Rio de Janeiro: CEAP, 2006.
  • *RAMOS, Arthur. O Folclore Negro do Brasil. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
  • *ROCHA, Rosa M. de Carvalho. Almanaque Pedagógico Afro-Brasileiro: Uma proposta de intervenção pedagógica na superação do racismo no cotidiano escolar. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2006.
  • *___________. Educação das Relações Étnico-Raciais: Pensando referenciais para a organização da prática pedagógica. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2007.
  • *ROSA, Sônia. CAPOEIRA(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *__________. JONGO(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *___________. MARACATU(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *SANTOS, Inaicyra Falcão. Corpo e Ancestralidade: Uma proposta pluricultural de dança-arte-educação. São Paulo: Terceira Margem, 2006.
  • *SODRÉ, Muniz. Samba o Dono do Corpo. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.
  • TINHORÃO, José Ramos. Música Popular Brasileira de Índios, Negros e Mestiços.RJ: Vozes, 1975.
  • _________ Os sons dos negros no Brasil. São Paulo: Art Editora, 1988.