♫AMIGOS DO AFRO CORPOREIDADE♫

terça-feira, 6 de julho de 2010

*MOSTRA OLONADÉ CELEBRA A CENA NEGRA BRASILEIRA*


OLONADÉ reunirá no período de 08 a 26 de julho atrações entre 12 espetáculos, 12 oficinas, 4 palestras e 6 filmes, todas com entrada franca.



A partir de 08 de julho, o bairro de Santa Teresa será palco da segunda edição do OLONADÉ - A cena negra brasileira - um evento pioneiro no estado do Rio de Janeiro que reunirá Companhias de Teatro, Dança e produções independentes vindas de diferentes regiões do Brasil e que tenham em comum o desenvolvimento de trabalhos voltados para a valorização da arte e da cultura negras.



Idealizado pela Cia dos Comuns (grupo teatral carioca dirigido pelo ator Hilton Cobra, responsável pela encenação dos espetáculos Candaces - a reconstrução do fogo; Bakulo - os bem lembrados; A Roda do mundo; e Silêncio), OLONADÉ reunirá no período de 08 a 26 de julho atrações entre 12 espetáculos, 12 oficinas, 4 palestras e 6 filmes, todas com entrada franca.



As oficinas possibilitarão que atores e bailarinos troquem experiências com renomados nomes das artes cênicas e da dança. O evento abre este espaço para que talentos sejam descobertos e aperfeiçoados com os artistas de longa estrada.



ESPETÁCULOS



O público poderá conferir espetáculos teatrais como: Besouro Cordão de Ouro/RJ, dir. João das Neves; Negro de estimação/PE, dir. Kleber Lourenço; Casa de ferro/BA, dir. Mauricio Assunção; O subterrâneo jogo do espírito/RJ, dir. Rodrigo dos Santos; O cheiro da feijoada/RJ, dir. Iléa Ferraz; OriRe - Saga de um herói que confrontou a morte/RJ, dir. Gustavo Mello; e Sete ventos/RJ, dir. Débora Almeida, e espetáculos de dança com as companhias Cia Rubens Barbot Teatro de Dança/RJ e Cia Étnica de Dança e Teatro/RJ, e os espetáculos Chão/RS, dir. Jessé Oliveira, e Terra sonâmbula/MG, dir. Rui Moreira.

OFICINAS

As oficinas serão conduzidas pelos profissionais Amir Haddad/RJ e Luiz Marfuz/BA (direção teatral); Zebrinha/BA e Rubens Barbot/RJ (dança); Jarbas Bittencourt/BA (música de cena); Puan Viana/RJ (percussão); João Lopes/RJ (dicção); Pedro Lima/RJ (canto); Fernanda Julia/BA (interpretação); Mestre Marrom/RJ (capoeira); Felipe Koury/RJ (Ai Kido); e Marcelinton PJ/RJ (técnicas circenses).

PALESTRAS

As palestras ocorrerão no dia 08, no Auditório da Biblioteca Nacional, e abordarão os temas: Herança africana, com a profª doutora Mônica Lima/RJ; Religiões de matriz africana, com o Pai Adailton/RJ; Em torno das saliências estéticas do nosso Teatro Negro, com a doutora Evany Tavares/SP; e Dança, com a profª doutora Renata Lima/GO.

CINEMA

Já o cinema, que terá sede no Afro Carioca de Cinema, estará representado pelos filmes: Eu não ganhei esse edital, dir. Julio Pecly; Santas ervas, dir. Lincoln Santos e Alexandre Nascimento; Se todos fossem iguais, dir. Fernando Barcellos e Joyce Santos; XIII Marcha Noturna, dir. Viviane Ferreira; Estação Realengo, dir. Carlos Maia; e O maestro das ruas, um mergulho na alma brasileira, dir. Dudu Fagundes.

Hilton Cobra, coordenador do projeto, justifica a realização de OLONADÉ: "É paradoxal que no país que abriga a segunda maior população negra do mundo, e que evoca como símbolos de sua cultura a música, a dança e a culinária negras, o teatro e a dança profissionais ainda expressem de forma tão tímida a influência da gente negra na sociedade brasileira. É fundamental criarmos meios para que as artes cênicas brasileiras sejam capazes de dar conta de uma realidade mais total: mostrar o negro - e a sociedade, em consequência - discutindo, avaliando, ocupando lugar de dono de seu próprio destino. Portanto, realizamos o OLONADÉ com o intuito de criar meios que possam incentivar a criação e o desenvolvimento de trabalhos que abarquem uma cosmovisão artisticamente negra no âmbito das artes cênicas. Sem dúvida um grande desafio, mas sobretudo uma necessidade histórica e cultural", argumenta Cobra.

Esta versão do OLONADÉ é realizada graças aos Prêmios Myriam Muniz/FUNARTE e Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afro-brasileiras/PALMARES; ao patrocínio da Petrobras e aos apoios culturais de Oi Futuro, Firjan, Cadon e Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro.
*
*Informações:
*CIA DOS COMUNS - Tel (21) 2242. 0606
*Recebido através de Email
*

Um comentário:

lucidreira disse...

Olá querida como vai, estive com problemas nas postagens dos comentários, não sei o que está acontecendo com minha página, nãoquer indexar e liberar os comentes.
Bjos e abraço

♫ESCOLA DE MÚSICA PENTAGRAMA♫ Direção Mapinha * Músico-Professor♫

♫ESCOLA DE MÚSICA PENTAGRAMA♫ Direção Mapinha * Músico-Professor♫
♫VIOLÃO * CAVAQUINHO * GUITARRA * BAIXO * FLAUTA * SAXOFONE * TROMPETE * TROMBONE * CLARINETE * GAITA * PIANO * TECLADO * CANTO * BATERIA * PERCUSSÃO GERAL♫ RUA IGARATÁ, Nº566 - MARECHAL HERMES - Rio de Janeiro* TEL(S):3456-1510/8133-3559* www.empentagrama.kit.net

*Registrado no Creative Commons*

Licença Creative Commons
Afro-Corporeidade e Africanidades de Denise Guerra dos Santos é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.
Based on a work at afrocorporeidade.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://afrocorporeidade.blogspot.com.

*FRUTOS DA DIÁSPORA AFRICANA*

*ACESSE http://www.africaeafricanidades.com.br*

*ACESSE  http://www.africaeafricanidades.com.br*

*"Capoeira é de Todos e de Deus. Mundo e gentes têm mandinga, Corpo tem Poesia, Capoeira tem Axé"*

*"Capoeira é de Todos e de Deus. Mundo e gentes têm mandinga, Corpo tem Poesia, Capoeira tem Axé"*
*Frase do Livro "Feijoada no Paraíso" Besouro*
Related Posts with Thumbnails

♫SUGESTÕES BIBLIOGRÁFICAS♫

  • *CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do Folclore Brasileiro. 6ª edição. Belo Horizonte: Itatiaia, 1988.
  • *COSTA, Clarice Moura. O Despertar para o outro: Musicoterapia. São Paulo: Summus Editorial, 1989.
  • * FREGTMAN, Carlos Daniel. Corpo, Música e Terapia. São Paulo: Editora Cultrix Ltda,1989.
  • *EVARISTO, Conceição. Ponciá Vicêncio. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2003.
  • * FREYRE, Gilberto. Casa grande e Senzala. 50ª edição. São Paulo: Global Editora, 2005.
  • *HOBSBAWN, Eric J. História Social do Jazz. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.
  • *LOPES, Nei. Bantos, Malês e Identidade Negra. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.
  • *_________. Dicionário Escolar Afro-Brasileiro. São Paulo: Selo Negro, 2006.
  • *_________. Enciclopédia Brasileira da Diáspora Africana. São Paulo: Selo Negro, 2004.
  • *_________. O Negro no Rio de Janeiro e sua Tradição Musical: Partido Alto, Calango, Chula e outras Cantorias. Rio de Janeiro: Pallas, 1992.
  • PEREIRA, José Maria Nunes. África um Novo Olhar. Rio de Janeiro: CEAP, 2006.
  • *RAMOS, Arthur. O Folclore Negro do Brasil. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
  • *ROCHA, Rosa M. de Carvalho. Almanaque Pedagógico Afro-Brasileiro: Uma proposta de intervenção pedagógica na superação do racismo no cotidiano escolar. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2006.
  • *___________. Educação das Relações Étnico-Raciais: Pensando referenciais para a organização da prática pedagógica. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2007.
  • *ROSA, Sônia. CAPOEIRA(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *__________. JONGO(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *___________. MARACATU(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *SANTOS, Inaicyra Falcão. Corpo e Ancestralidade: Uma proposta pluricultural de dança-arte-educação. São Paulo: Terceira Margem, 2006.
  • *SODRÉ, Muniz. Samba o Dono do Corpo. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.
  • TINHORÃO, José Ramos. Música Popular Brasileira de Índios, Negros e Mestiços.RJ: Vozes, 1975.
  • _________ Os sons dos negros no Brasil. São Paulo: Art Editora, 1988.