♫AMIGOS DO AFRO CORPOREIDADE♫

domingo, 30 de agosto de 2009

♫1ª NOITE DO BLACK2BACK 28/08/09: QUEM FOI, COMO FOI, QUEM NÃO FOI...♫

*Foto 1: Da esquerda para a Direita
Breyten Breytenbach, ao centro José
Eduardo Agualusa e Bob Geldof*
*Por Denise Guerra*
Com a Belíssima Direção de Arte e Cenografia de Bia Lessa, a noite de estréia do Back2Black estava rico em fotografias, informações, dados etnográficos e poesia com direito a flores no palco e nas cadeiras de onde o público assistiu a conferência e os shows. Instalações Adjacentes ao cenário principal complementaram a recepção montada com vagões de trens antigos prontos para uma Festa Blax e Uma Livraria com temas afros.

Os ilustres conferencistas abriram esta noite inicial do Back2Black com suas falas conscientes, emocionadas e questionadoras sob a mediação do escritor angolano José Eduardo Agualusa, que também é o curador do evento. Nossos preletores na conferência Breyten Breytenbach e Bob Geldof. que teve o tema “Construindo Utopias”, antes de qualquer coisa, discorreram sobre a grande complexidade do continente africano, com seus 54 países, mais de 2000 etnias, e um volume intenso de idiomas num mesmo país conforme o exemplo da Nigéria que congrega pelo menos 200 idiomas diferentes no mesmo território.Com tamanha diversidade por metro quadrado, os problemas obviamente são inúmeros e as disponibilidades para resolvê-los nem tanto assim.


Os conferencistas disseram ainda que por suas longas caminhadas discutindo com o mundo sobre os problemas africanos e as responsabilidades de todos na busca de soluções para o desenvolvimento do continente, observaram repetidos movimentos de explorações inescrupulosas, olhares para a África a partir dos estereótipos impregnados no senso comum, o desconhecimento sobre a cosmogonia africana (visão de mundo) e a contemporaneidade destes nossos irmãos.

Abriu-se para perguntas, mas, o tempo não foi suficiente para expor e responder a todas. O mediador José Eduardo Agualusa escolheu uma pergunta em especial e a fez a cada palestrante: “Se vocês estivessem diante do presidente do seu país, o que vocês diriam a este? A irreverência e a seriedade se fizeram representar nas respostas dos dois palestrantes, contudo, segundo o que pude concluir, perguntariam aos seus presidentes sobre as melhorias desejadas para cada país e dariam sugestões para o crescimento de suas nações e da África como um todo.

Os palestrantes em suas mensagens finais pediram a atenção do mundo para as particularidades de cada um dos 54 países africanos e para a contemporaneidade em África já que o continente, apesar dos achados arqueológicos, não é uma peça de antiquário, mas, é antes um continente que precisa de cuidados e respeito da humanidade. Após um breve intervalo passou-se à segunda parte do evento com os shows.

*Foto 2: Gilberto Gil com José Gil à
esquerda e Ben Gil à direita.*
Para iniciar os shows ninguém mais indicado que o músico e ex-ministro da cultura brasileira mister Gilberto Gil. O músico chegou acompanhado dos filhos José Gil (baixo e percussão) e Bem Gil (guitarra acústica e percussão). Veio com a leveza que lhe é peculiar cantando, tocando e alternando pequenas e imprescindíveis falas sobre a consciência negra, a valorização do negro, saudações às resistências culturais e sociais do negro, apoiando a diversidade e a liberdade de expressão. Gilberto Gil, depois de apresentar a prole que o acompanharia musicalmente anunciou que o repertório preparado para esta noite era deveras “Pigmentado, Melaninado ou Pronto pra Preto” brincando com um dos temas musicais que cantaria mais tarde. Pérolas como: A Mão da Limpeza, Andar com Fé, Tenho Sede, Expresso 2222, Refavela, O Escurinho, No Woman no Cry, Alapala (O Mito de Xangô) entre outras. Depois a irreverência corporal e a incrível sonoridade da voz de Angelique Kidjo terminando sua brilhante participação com pedidos de bis que ele atendeu prontamente para alegria geral da nação ou da estação.
*Foto 3:Youssou N'Dour com Angelique Kidjo*

No tão esperado segundo show subiu ao palco o Diamante Negro Senegalês Youssou N’Dour com toda sua energia, uma grande e iluminada banda com percussões, teclados, baixo, guitarra e um exímio e performático dançarino levantado o astral de todos que assistiam. Youssou N’Dour ainda recebeu Angelique Kidjo e ao final Marisa Monte cantando com a brasileira “Seven Seconds” brilhantemente.Este palco iluminado de estrelas, astros e axés de volta ao negro chegou ao ápice com todos os convidados cantando juntos “Blowing in the Wind! De Bob Dylan.

Diante de um evento de tanta beleza e valorização das questões africanas certas presenças imprescindíveis pareceram-me ausentes, que talvez pela ostentação dos ingressos, ou pouca difusão das informações, não puderam estar lá. Falo da presença da grande massa que move este país nomeados afro-descendentes ou negros de classe social mais humilde, cerne dos movimentos sociais, religiosos, culturais etc, de quem se falou e se vai falar também neste evento, contudo, mais uma vez faltou dar a vez e a voz à quem a tem por direito. É um fato para se pensar!

*Foto4:Da Esquerda para a Direita: Márcia, Teresa, Geny, Denise, Ana Lídia* *Foto5:Da Esquerda para a Direita: Ana Lídia, Denise, Geny, Márcia, Gora Fall*


2 comentários:

Dudu disse...

Oi, Denise! Eu fui e foi uma noite memorável.
Pena não ter te encontrado.
Te admiro muito.
Bjs.

Denise Guerra disse...

Oi Dudú, obrigada pelo acesso ao blog! Pena não tê-lo visto certamente sua foto estaria aqui! Bjinhos!

♫ESCOLA DE MÚSICA PENTAGRAMA♫ Direção Mapinha * Músico-Professor♫

♫ESCOLA DE MÚSICA PENTAGRAMA♫ Direção Mapinha * Músico-Professor♫
♫VIOLÃO * CAVAQUINHO * GUITARRA * BAIXO * FLAUTA * SAXOFONE * TROMPETE * TROMBONE * CLARINETE * GAITA * PIANO * TECLADO * CANTO * BATERIA * PERCUSSÃO GERAL♫ RUA IGARATÁ, Nº566 - MARECHAL HERMES - Rio de Janeiro* TEL(S):3456-1510/8133-3559* www.empentagrama.kit.net

*Registrado no Creative Commons*

Licença Creative Commons
Afro-Corporeidade e Africanidades de Denise Guerra dos Santos é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.
Based on a work at afrocorporeidade.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://afrocorporeidade.blogspot.com.

*FRUTOS DA DIÁSPORA AFRICANA*

*ACESSE http://www.africaeafricanidades.com.br*

*ACESSE  http://www.africaeafricanidades.com.br*

*"Capoeira é de Todos e de Deus. Mundo e gentes têm mandinga, Corpo tem Poesia, Capoeira tem Axé"*

*"Capoeira é de Todos e de Deus. Mundo e gentes têm mandinga, Corpo tem Poesia, Capoeira tem Axé"*
*Frase do Livro "Feijoada no Paraíso" Besouro*
Related Posts with Thumbnails

♫SUGESTÕES BIBLIOGRÁFICAS♫

  • *CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do Folclore Brasileiro. 6ª edição. Belo Horizonte: Itatiaia, 1988.
  • *COSTA, Clarice Moura. O Despertar para o outro: Musicoterapia. São Paulo: Summus Editorial, 1989.
  • * FREGTMAN, Carlos Daniel. Corpo, Música e Terapia. São Paulo: Editora Cultrix Ltda,1989.
  • *EVARISTO, Conceição. Ponciá Vicêncio. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2003.
  • * FREYRE, Gilberto. Casa grande e Senzala. 50ª edição. São Paulo: Global Editora, 2005.
  • *HOBSBAWN, Eric J. História Social do Jazz. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.
  • *LOPES, Nei. Bantos, Malês e Identidade Negra. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.
  • *_________. Dicionário Escolar Afro-Brasileiro. São Paulo: Selo Negro, 2006.
  • *_________. Enciclopédia Brasileira da Diáspora Africana. São Paulo: Selo Negro, 2004.
  • *_________. O Negro no Rio de Janeiro e sua Tradição Musical: Partido Alto, Calango, Chula e outras Cantorias. Rio de Janeiro: Pallas, 1992.
  • PEREIRA, José Maria Nunes. África um Novo Olhar. Rio de Janeiro: CEAP, 2006.
  • *RAMOS, Arthur. O Folclore Negro do Brasil. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
  • *ROCHA, Rosa M. de Carvalho. Almanaque Pedagógico Afro-Brasileiro: Uma proposta de intervenção pedagógica na superação do racismo no cotidiano escolar. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2006.
  • *___________. Educação das Relações Étnico-Raciais: Pensando referenciais para a organização da prática pedagógica. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2007.
  • *ROSA, Sônia. CAPOEIRA(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *__________. JONGO(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *___________. MARACATU(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *SANTOS, Inaicyra Falcão. Corpo e Ancestralidade: Uma proposta pluricultural de dança-arte-educação. São Paulo: Terceira Margem, 2006.
  • *SODRÉ, Muniz. Samba o Dono do Corpo. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.
  • TINHORÃO, José Ramos. Música Popular Brasileira de Índios, Negros e Mestiços.RJ: Vozes, 1975.
  • _________ Os sons dos negros no Brasil. São Paulo: Art Editora, 1988.