♫AMIGOS DO AFRO CORPOREIDADE♫

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

*FÉ NOS DEUSES E PÉ NA BOLA: A Reza Forte dos Cariocas deu Certo!*

*Por Denise Guerra*

*FÉ NOS DEUSES E PÉ NA BOLA: A Reza Forte dos Cariocas deu certo!*

O Brasileirão acabou e “entre mortos e feridos, salvaram-se todos” ou quase todos! Os resultados mostraram que o Rio de Janeiro foi o maior abençoado por Deus ou pelos Deuses; sabe-se lá quantos pedidos foram atendidos este ano para as torcidas cariocas?

Vamos às estatísticas dos Pés-quentes: A nação Rubro Negra (Flamenguistas de plantão) foi a maior beneficiada levando o hexacampeonato e com o tamanho da torcida os clamores, festejos e fogos não devem ter deixado os deuses dormirem em paz.

A torcida do Vascão (Bacalhau para os íntimos) também alcançou sua benéfice de ter voltado para a primeirona, e é claro que deram graças a Deus porque as coisas estão voltando para o lugar de onde não deveriam ter saído.

Nossa Estrela solitária (Fogão) começou bem o ano, mas, tropeçou no meio do caminho e só não caiu para a segundona por obra e arte dos céus, ou será do orum? Ou quem sabe de outra morada sagrada dos Deuses?

Por último, quase o ano inteiro, o Fluminense (Fluzão para os apaixonados feito eu) não se fez de rogado, sofreu em todas as partidas, e é claro rezou para todos os Santos, Deuses e Credos. Como se vê, o clamor ecumênico venceu! Graças aos Deuses!

Quem assiste aos jogos brasileiros sabe que a relação fervorosa dos torcedores cariocas com o sagrado é de praxe nas arquibancadas. Comumente vê-se diante das câmeras de televisão mãos postas em oração, olhares elevando pedidos aos céus, fé nos objetos de fetiches como patuás, amuletos, santinhos, figas, mandingas entre outros rituais relacionados as religiões de matriz africana.

Passado todo o sufoco, rimando amor e dor, nós Cariocas logramos os melhores êxitos e foi só correr para o abraço! Mas, não se pode esquecer de pagar as promessas devidas nem de agradecer aos deuses benfeitores de todos estes milagres dos gramados cariocas!

Se Deus é brasileiro eu não sei, mas, este ano ele com certeza deu uma forcinha a mais para os cariocas. Tradicionalmente “fazer uma fezinha” é o mesmo que apostar em algum jogo, então é só “não pisar na bola” e como diz o nosso ex-ministro da Cultura Gilberto Gil “Andar com Fé eu vou, que a fé não costuma falhar”.

10 comentários:

Guará Matos disse...

Maravilha de texto, Minina!
Bem costurado e humorado o bastante para arrancar bons risos. O encerramento com Gil, foi porreta!
Beijos multi-coloridos.

Denise Guerra disse...

Valeu querido! Tô rindo agora que o meu time não caiu, mas, o ano foi terrível! Bjs!

Rogerio Oliveira disse...

Que sofrimento foi a última rodada do brasileirão, não foi gente? Até que enfim acabou!...
Até que enfim nada!!! Faz 1 semana que estamos sem futebol e não sei o que posso assistir nas noites de quarta ou nas tardes de domingo.
Volta logo futebol brasileiro, quero sofrer mais uma vez..!

Denise Guerra disse...

Valeu Roger! A bola na telinha faz falta mesmo, especialmente aqui no Brasil que não aprendemos viver sem a gorduchinha. O pior é que não tem jogo de nada porque as outras modalidades tem pouca visibilidade, e olha que agente tem ganhado todos os títulos de Voleibol. Obrigada pelos comentários e pela visita! See you! Kisses!

Meias de Seda (Suzy) disse...

Oi, Denise! Estava aqui xeretando seu blog e gostei muito do que vi. Gostei mais ainda quando li que é tricolor como eu...rs
Parabéns pelo trabalho, seu espaço é ótimo.

Beijinhos,
Suzy ;)

Denise Guerra disse...

Oi Suzy, seja bem-vinda! Obrigada pelos comentários! Que legal mais uma tricolor por aqui, Volte Sempre!Bjs!

Ricardo Riso disse...

Oi, Denise!!
Muito legal o texto!!! As manifestações de fé pelas torcidas são um capítulo à parte no espetáculo do nosso futebol. Creio até que valeria um trabalho aliando fotografia e texto. Talvez inédito no país. Dica dada!
bjs!!

Denise Guerra disse...

Oi meu querido, obrigada pela visita e por seus comentários! Valeu pela dica! Apareça mais, vou precisar da sua presença para um trabalho que vou fazer. Bjs!

Dom Quixote (Thomaz) disse...

Bem, como sãopaulino e detentor de vários títulos (este ano não deu, mas não vale a pena comentar os notivos), imaginem se pedirmos ajuda aos orixás! Os demais times vão fechar seus departamentos de futebol!

Denise Guerra disse...

Valeu Dom!!! É isso aí, um pouquinho para cada time, todo ano tem brasileirão! boa sorte no próximo! Bjs!

♫ESCOLA DE MÚSICA PENTAGRAMA♫ Direção Mapinha * Músico-Professor♫

♫ESCOLA DE MÚSICA PENTAGRAMA♫ Direção Mapinha * Músico-Professor♫
♫VIOLÃO * CAVAQUINHO * GUITARRA * BAIXO * FLAUTA * SAXOFONE * TROMPETE * TROMBONE * CLARINETE * GAITA * PIANO * TECLADO * CANTO * BATERIA * PERCUSSÃO GERAL♫ RUA IGARATÁ, Nº566 - MARECHAL HERMES - Rio de Janeiro* TEL(S):3456-1510/8133-3559* www.empentagrama.kit.net

*Registrado no Creative Commons*

Licença Creative Commons
Afro-Corporeidade e Africanidades de Denise Guerra dos Santos é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.
Based on a work at afrocorporeidade.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://afrocorporeidade.blogspot.com.

*FRUTOS DA DIÁSPORA AFRICANA*

*ACESSE http://www.africaeafricanidades.com.br*

*ACESSE  http://www.africaeafricanidades.com.br*

*"Capoeira é de Todos e de Deus. Mundo e gentes têm mandinga, Corpo tem Poesia, Capoeira tem Axé"*

*"Capoeira é de Todos e de Deus. Mundo e gentes têm mandinga, Corpo tem Poesia, Capoeira tem Axé"*
*Frase do Livro "Feijoada no Paraíso" Besouro*
Related Posts with Thumbnails

♫SUGESTÕES BIBLIOGRÁFICAS♫

  • *CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do Folclore Brasileiro. 6ª edição. Belo Horizonte: Itatiaia, 1988.
  • *COSTA, Clarice Moura. O Despertar para o outro: Musicoterapia. São Paulo: Summus Editorial, 1989.
  • * FREGTMAN, Carlos Daniel. Corpo, Música e Terapia. São Paulo: Editora Cultrix Ltda,1989.
  • *EVARISTO, Conceição. Ponciá Vicêncio. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2003.
  • * FREYRE, Gilberto. Casa grande e Senzala. 50ª edição. São Paulo: Global Editora, 2005.
  • *HOBSBAWN, Eric J. História Social do Jazz. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.
  • *LOPES, Nei. Bantos, Malês e Identidade Negra. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.
  • *_________. Dicionário Escolar Afro-Brasileiro. São Paulo: Selo Negro, 2006.
  • *_________. Enciclopédia Brasileira da Diáspora Africana. São Paulo: Selo Negro, 2004.
  • *_________. O Negro no Rio de Janeiro e sua Tradição Musical: Partido Alto, Calango, Chula e outras Cantorias. Rio de Janeiro: Pallas, 1992.
  • PEREIRA, José Maria Nunes. África um Novo Olhar. Rio de Janeiro: CEAP, 2006.
  • *RAMOS, Arthur. O Folclore Negro do Brasil. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
  • *ROCHA, Rosa M. de Carvalho. Almanaque Pedagógico Afro-Brasileiro: Uma proposta de intervenção pedagógica na superação do racismo no cotidiano escolar. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2006.
  • *___________. Educação das Relações Étnico-Raciais: Pensando referenciais para a organização da prática pedagógica. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2007.
  • *ROSA, Sônia. CAPOEIRA(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *__________. JONGO(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *___________. MARACATU(série lembranças africanas). Rio de Janeiro: Pallas, 2004.
  • *SANTOS, Inaicyra Falcão. Corpo e Ancestralidade: Uma proposta pluricultural de dança-arte-educação. São Paulo: Terceira Margem, 2006.
  • *SODRÉ, Muniz. Samba o Dono do Corpo. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.
  • TINHORÃO, José Ramos. Música Popular Brasileira de Índios, Negros e Mestiços.RJ: Vozes, 1975.
  • _________ Os sons dos negros no Brasil. São Paulo: Art Editora, 1988.